O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 19 de Setembro de 2013

Dificilmente encontraremos coisa mais passageira que a fama. E, no entanto, quantos lutam por ela, quantos se atropelam por causa dela!

Júlia Roberts, que sabe bem do que fala, confessa que «a fama é apenas uma brisa que passa».

E o problema é que, enquanto não passa, vai deixando passar tudo o resto.

A preocupação pela fama leva a que as pessoas não se preocupem com o mais importante, com o mais sólido, com o mais duradouro.

Coisa pouca é a fama. Para quê tanto investimento à volta dela?

Miguel Torga avisou: «A minha fome não é de fama; é de eternidade».

Muitas vezes, quase sempre, a fama difama.

A fama acaba por atrair nós infindos de especulações e conjecturas que culminam num mar interminável de intrigas, difamações e até calúnias.

Feliz quem não procura a fama. Feliz quem não é famoso. Feliz quem opta por ficar no coração das pessoas. E não nas páginas das revistas!

publicado por Theosfera às 11:24

Mais de 150 mil jovens concluíram o ensino secundário. Destes só cerca de 40 mil se candidataram ao ensino superior. Ou seja, 70% dos jovens portugueses optam por não continuar os estudos.

Que leitura fazer destes dados? Falta de meios? Ou percepção de que a formação académica já não assegura um futuro estável?

Não me parece, porém, que a falta de formação esteja em melhores condições de tal futuro garantir.

Muitos elementos para a reflexão!

publicado por Theosfera às 10:35

A tolerância não é o máximo. Mas é um minímo que nem sempre é respeitado.

Já a intolerância, que todos increpam, é um terreno que muitos pisam.

Giacomo Leopardi, com alguma dose de ironia, assinalou: «Nenhuma qualidade humana é mais intolerável do que a intolerância».

Se, ao menos, fosse qualidade...

publicado por Theosfera às 10:30

Se queremos alguma coisa para nós, façamo-la aos outros.

Se não queremos alguma coisa para nós, não a façamos aos outros.

É elementar. A regra de ouro consagra o preceito: «Não faças aos outros o que não queres que te façam a ti».

A sabedoria islâmica, dentro do mesmo registo, concretiza: «Não ofendas e não serás ofendido».

Mas nem sempre esta lei se verifica.

Às vezes, não tão poucas vezes assim, quem mais é ofendido é quem menos ofende, é quem nunca ofende.

Até porque há quem pense que o terreno está livre. Como sabem que não terão retorno, ofendem à vontade.

Mas haverá um momento em que a triagem se fará.

O bem deve ser feito não por causa de uma eventual recompensa, mas porque o bem faz bem.

O bem compensa por si mesmo. Dispensa adereços e ornamentos.

Haverá maior ornamento que o bem?

publicado por Theosfera às 10:25

Grande mistério é a vida. Enorme mistério é a morte.

Por um lado, é a situação mais óbvia e mais certa com que contamos. Por outro lado, transporta uma carga de incerteza insuperável.

Quando virá? Que sucederá depois dela?

Epicuro, em plena antiguidade clássica, confessava: «A morte nada é para nós».

De facto, empiricamente assim é. Quando a morte vem, nós já não estamos.

Afinal, só sentimos a morte dos outros, não a nossa. Como um rio que desagua no oceano, a nossa vida é um caminho que, inevitavelmente, termina na morte.

É por isso que Zubiri dizia que «viver é existir frente à morte».

Conseguimos adiá-la. Em muitos casos, por muito tempo.

Vamos coleccionando bastantes vitórias sobre a morte. Mas chega um momento em que a morte triunfa. Basta-lhe essa vitória.

Bruno Forte afirmava que o homem é um paradoxo de alguém que luta pela vida e que, ao mesmo tempo, caminha para a morte.

Ainda que vivamos 100 (ou mais) anos, hoje estamos um dia mais perto da morte do que estávamos ontem.

É na fé que tudo se transfigura. Na fé, a morte não é o fim.

A morte é como uma porta: fecha a vida terrena, abre-nos para a vida eterna.

Na fé, nem o fim é fim!

publicado por Theosfera às 10:12

Hoje, 19 de Setembro, é dia de S. Januário, Sto. Afonso de Orozco, Sta. Emília Rodat e S. Francisco Maria de Comporosso.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:14

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro