O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 13 de Setembro de 2013

«O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflecte».

Aristóteles estava certo.

Quem muito fala não é quem mais sabe. A sensatez é o ápice da sabedoria.

A sabedoria que não é sensata desmantela-se por ilusão, por gula.

Só a prudência dá saber ao sábio!

publicado por Theosfera às 10:56

1. A educação ajuda a conhecer. Mas ajudará a pensar e a viver?

É importante que na educação se pense. Mas é cada vez mais necessário que a educação se repense. Só repensando a sua missão no presente contribuirá para que possamos viver melhor no futuro.

 

2. Formar é muito mais do que formatar. Do sistema educativo espera-se que forme a pessoa e não que formate comportamentos.

É inegável que o sistema educativo fornece competências para perceber o funcionamento da realidade e para alterar o curso da natureza. Mas será que oferece ferramentas para compreender a realidade e transformar a vida?

 

3. A educação não existe para manter, nem para agradar. A educação existe para transformar, para melhorar.

Importante na educação não é ser o melhor, mas dar o melhor. Fundamental não é a competição, mas a cooperação. Luminosa não é a rivalidade, mas a solidariedade.

 

4. O problema é que isto não é fácil e vai encontrando enormes resistências.

Carlos Drummond de Andrade já se apercebera: «A educação visa melhorar o homem, o que nem sempre é aceite pelo interessado». Mesmo assim, é necessário prosseguir. Sem jamais desistir.

 

5. Neste campo, a tecnologia é um recurso necessário, mas a palavra nunca deixará de ser o instrumento decisivo. Aliás, para Paulo Coelho, «não há arma mais forte que a palavra».

Trata-se de uma arma poderosa, que veicula o poder maior: o pensamento. Já Carlos de Oliveira, num poema musicado por Manuel Freire, afiançava que «não há machado que corte a raiz ao pensamento».

 

6. A educação não pode limitar-se a ensinar a ler o livro. Tem de preparar para ler o mundo.

O mundo é um livro aberto, mas requer toda a atenção.

 

7. No mundo, tudo é mudança. O problema é que, desde há muito, a mudança é considerada negativa. Mas será que toda a mudança é negativa?

O problema está na realidade ou não estará no nosso olhar? A natureza ensina e Paulo Coelho tem reparado nas suas lições: «Não existe vitória nem derrota; existe movimento».

 

8. O Inverno não se sente derrotado quando chega a Primavera. Porque é que o homem se há-de sentir derrotado quando vem a adversidade?

A adversidade não é eterna. Se a vitória não vem agora, há-de vir depois. Mal não é cair, «é ficar preso no chão».

 

9. Não é derrotado quem tenta e não consegue. «Só é derrotado quem desiste».

Novas oportunidades hão-de surgir. A história ainda está longe do fim.

 

10. Todos nós somos filhos do um passado, irmãos do um presente e pais de um futuro.

Ninguém foge ao seu passado. Ninguém escapa ao seu presente. Será que alguém quer passar ao lado do seu futuro?

Que o nosso agir não desmereça o nosso sonhar!

 

publicado por Theosfera às 10:47

Não me revejo, nem um pouco, no perfil de Rochus Misch, recentemente falecido, mas subscrevo uma frase por ele proferida: «Sou um homem insignificante, mas vivi coisas significativas».

Quanto mais significativas são as coisas que vou vendo, mas insignificante me sinto!

publicado por Theosfera às 10:16

Um dia, tudo acaba. Ou, melhor, um dia tudo se transforma.

E, nessa transformação, algo permanece, mesmo que tudo aparente mudar.

Afinal, começamos a morrer antes de morrer. Mas sabemos que havemos de viver mesmo depois da morte.

Um dia, vamos ter de nos separar. Custa sempre a separação. Mas temos de estar preparados, precavidos, serenos.

Parafraseando S. João Crisóstomo, diria que onde eu estiver, estarão também todos os meus amigos.

Ainda que estejamos em lugares distantes, «continuaremos sempre unidos».

Nada, nem a morte, «poderá separar-nos». A alma sobrevive: «A minha alma recordar-se-á sempre do meu povo».

Como recordava o mesmo santo, «a minha pátria e a minha família sois vós».

Em toda a parte nos reencontraremos. Vós «sois a minha luz, uma luz mais brilhante que a luz do dia».

A luz que a amizade acende nunca se apagará!
publicado por Theosfera às 09:44

La Boétie proclamou: «Decidi-vos a não servir mais, e sereis livres».

Mas não concordo. A maior liberdade consiste em servir.

Não se trata de servilismo, mas de dádiva.

Quem não vive para servir servirá para viver?

publicado por Theosfera às 09:43

Hoje, 13 de Setembro, é dia de S. João Crisóstomo, Sto. Amado e Sta. Maria de Jesús López de Rivas.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 06:08

Muito fraca é a violência, apesar da força que ela usa.

Benedetto Croce sinalizou o essencial: «A violência não é força, mas fraqueza, nem nunca poderá ser criadora de coisa alguma, apenas destruidora».

Era bom que se pensasse mais na violência antes de agir com violência.

Era importante que se apurasse se algo de bom resultou da violência. É que nem a violência consegue vencer a violência.

Como notou S. João Crisóstomo, «a violência não se vence com a violência, mas com a mansidão».

No fundo, a mansidão é mais forte que a mais violenta força. E que a mais forte violência!

publicado por Theosfera às 05:13

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro