O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 05 de Setembro de 2013

Nada será tão importante na vida como decidir. Mas também poucas coisas encerrarão tão elevado grau de perigosidade como as decisões.

Percebe-se a indecisão. Mas acaba-se por entender que não faz sentido.

Bertrand Russell sentenciou que «nada é tão fatigante como a indecisão e nada tão fútil».

Quando decidimos, podemos perder. Mas se não decidirmos, estaremos perdidos.

Zubiri disse o elementar, mas o elementar tantas vezes esquecido: «Viver é optar». E escolher é aceitar e, nessa medida, também rejeitar.

Custa decidir. Mas é imperioso decidir: na hora própria e tomando a opção certa.

Difícil? Sem dúvida. Mas o Mestre interior oferece-nos sempre a Sua luz!

publicado por Theosfera às 10:52

Dar é o verbo que somos chamados a conjugar: com os lábios e sobretudo com a vida.

Deus ama quem dá com alegria (cf. 2Cor 9, 7).

E procuremos dar sem nada esperar em troca. Até porque quando muito se espera, amarga pode ser a desilusão.

Daí o avisado conselho de Miguel de Unamuno: «Não dês a ninguém aquilo que te peça, mas aquilo que achas que necessita; e suporta logo a ingratidão».

Não digo que seja sempre assim. Mas, muitas vezes, é assim.

Porém e apesar de ser assim, não deixemos de fazer o bem. Mesmo sem recompensa. Sobretudo quando não houver recompensa.

O bem realizado compensa por si mesmo!

publicado por Theosfera às 10:36

A chuva voltou. Com ela, a natureza apaziguou-se e as chamas extinguiram-se.

A chuva é realidade e sinal, coisa-realidade e coisa-sentido, significante e significado.

Nestes dias, creio ser oportuno evocar Unamuno que, à boleia da chuva, exarou: «Quando Deus quiser "chover" na tua vida, deixa "chover"».

Não desperdice esta chuva.

Que ela seja copiosa. Ela é sempre copiosa, mansamente copiosa!

publicado por Theosfera às 10:29

A ingenuidade não é um caminho a seguir. Mas também não será uma atitude a desprezar.

Arturo Graf reconheceu que «a ingenuidade é uma força que os astutos fazem mal em desprezar».

É que a astúcia mais viperina é, talvez, aquela que se disfarça de ingenuidade.

Os outros olham para a aparência, fixam-se na espuma, não detectam a intenção escondida.

Há astutos tão astutos que até são capazes de simular ingenuidade. E assim vão engodando os outros!

publicado por Theosfera às 10:16

Hoje, 05 de Setembro, é dia da Bem-Aventurada Madre Teresa de Calcutá, S. Bertino e S. Vitorino.

Um santo e abençoado dia para todos.

publicado por Theosfera às 06:30

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro