O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 26 de Julho de 2013

«A Igreja, quando busca Cristo, sempre bate à porta da casa da Mãe».

O Papa Francisco está a revelar-se um manancial de profundidade simples. E de simplicidade profunda!

publicado por Theosfera às 23:25

Muito avisado, com a sua sapiência humilde, esteve Eduardo Lourenço quando escreveu: «Nós não enterramos os mortos. Os mortos é que se enterram em nós».

Muito de nós parte com eles. Muito deles permanece em nós.

Antoine de Saint-Exupéry percebeu muito bem este mútuo entranhamento: «Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós».

É assim o mistério da morte. É assim o mistério da vida.

Todos partem. Todos ficam enquanto não partem.

Somos peregrinos de uma pátria que se chama eternidade.

A saudade e a fé são os únicos bálsamos para tanta dor!

publicado por Theosfera às 22:36

Ele ajudou o amigo que lhe bateu à porta. Mesmo assim, ficou triste.

Achava que devia ajudá-lo antes que ele precisasse.

Eis a grande lição.

Ajudemos os outros antes que eles precisem, antes que eles passem necessidade.

Que ninguém passe necessidade!

publicado por Theosfera às 16:00

Há os que se dizem amigos e há os amigos.

Não somos nós que estabelecemos a diferença. A vida é que faz a selecção.

Nós estamos sujeitos ao erro. A vida, com o respaldo dos factos, nunca se engana. O que ela mostra não admite refutação.

O problema é que nós nem sempre estamos sintonizados com a vida. Às vezes, é muito tarde quando lemos os seus sinais.

Mas mais vale tarde que nunca. Há pessoas que iludem. Mas a vida não engana!

publicado por Theosfera às 15:55

Muitas vezes, ficamos desapontados com a indiferença com que os outros reagem aos nossos dramas, com a frieza com que lidam com os nossos problemas.

Já Oscar Wilde notara que «as nossas tragédias são sempre de uma profunda banalidade para os outros».

Talvez nem sempre. As excepções a esta tendência sinalizam a verdadeira amizade.

Os outros também sofrem. Provavelmente até mais que nós.

publicado por Theosfera às 11:01

É possível que Saint-Just tenha razão: «As leis compridas são calamidades públicas».

Não iria tão longe. Mas, de facto, a quantidade raramente combina com a qualidade.

Muito nem sempre significa bom!

publicado por Theosfera às 10:56

Marie Eschenbach: «Quanta gente sem talento ousa comentar a obra dos talentosos, dizendo: "Se soubesse fazer isto, tê-lo-ia feito melhor"».

Se soubesse... O problema é alguns só sabem depois de verem outros fazer.

Mas ainda bem que aparecem comentadores. É sinal de que algo à sua volta mexe. E incomoda!

publicado por Theosfera às 10:50

Hoje, 26 de Julho, é dia de S. Joaquim e Sta. Ana e Sta. Bartolomea Capitânea.

Dado que S. Joaquim e Sta. Ana, Pais de Nossa Senhora, foram os Avós de Jesus, convencionou-se ser hoje o Dia dos Avós.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 05:57

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro