O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 23 de Julho de 2013

Recordar o passado não é, necessariamente, andar na trás.

Recordar o passado é trazer o já vivido para o que nos resta viver.

O principal encanto do passado é que nunca passa.

As vivências persistem. As pessoas acompanha-nos.

A nossa memória é uma habitação muito grande.

Nela vamos convivendo com tanta gente que nos marcou. E que continua a saber, eloquentemente, o que significa a amizade e a gratidão!

publicado por Theosfera às 22:25

Tão grave como suspender a razão é limitar-se à razão.

Hoje, parece que oscilamos entre os dois extremos.

Há quem aceite acriticamente todas as práticas que parecem irracionais. E há quem pareça fechar-se a qualquer realidade supra-racional.

A razão ajuda muito. Mas não explica tudo.

É bom usar a razão para nos acautelarmos de tanta coisa. Mas é importante ir mais além da razão para crescermos.

A razão pode evitar que sejamos menos que nós mesmos. E pode ajudar-nos a sermos mais que nós próprios.

Pascal, para quem «viver é ultrapassar-se», defendia que «o último esforço da razão é reconhecer que há uma infinidade de coisas que a ultrapassam».

O bom senso será sempre um precioso condimento para a razão.

Acerca desta, nem de mais nem de menos!

publicado por Theosfera às 11:11

Não é fácil articular ideias nem combinar vontades.

Pio Baroja assinalou: «Não há contenda tão violenta como a que surge entre os que aceitaram uma ideia ontem e os que a aceitarão amanhã».

Daí a necessidade do diálogo: efectivo e afectivo.

Só pelo diálogo é que os desencontros darão lugar ao desejado reencontro!

publicado por Theosfera às 10:24

É fundamental agir. Mas não menos urgente é pensar antes (durante e depois) de agir.

Não esqueça esta máxima bíblica: «Antes de qualquer empresa é preciso reflectir».

publicado por Theosfera às 10:20

Onde está a pessoa, aí tem de estar a missão.

Jesus enviou os Seus discípulos para todo o mundo, para todos os povos, para todas as pessoas.

Hoje em dia, as pessoas estão, cada vez mais, nas redes sociais.

Seria uma demissão grave ignorar esta presença e subestimar esta oportunidade.

Há perigos? Sim, como é óbvio. O perigo é inerente à experiência.

Dizem os estudiosos que a palavra «experiência» contém a ideia de «perícia» e de «perigo»(periculum).

O que não se pode é ficar à margem ou criticar quem humildemente arrisca.

Se o argumento do perigo prevalece, então não é só para as redes sociais que temos de olhar.

Onde é que não há perigos? Perigos existem, desde logo, na vida. E não são os perigos que nos podem inibir de viver.

A tentação da vaidade e da exposição excessiva não é um exclusivo das redes sociais.

Ela pode ocorrer também nos jornais, nos livros, enfim na vida.

No fundo, não vemos só as coisas como elas são. Vemos-las sobretudo como nós somos.

É importante descartar todos os preconceitos.

É importante estar em rede como se está na vida: numa atitude de serviço, com sentido de missão. À disposição de todos!

publicado por Theosfera às 10:14

Hoje, 23 de Julho, é dia de Sta. Brígida (Padroeira da Europa), Sto. Apolinário, Sta. Cunegundes e S. Nicéforo e seus Companheiros mártires.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 05:58

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro