O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 13 de Julho de 2013

Os povos são como as pessoas.

Como as pessoas, também os povos nem sempre lidam bem com a adversidade.

Paul Valéry notava que «nenhuma nação gosta de considerar os seus infortúnios como seus filhos ilegítimos».

Mas não podemos ignorá-los.

Quando ignoramos os infortúnios, eles multiplicam-se. E devoram-nos!

publicado por Theosfera às 12:00

Somos donos do que calamos e escravos do que dizemos.

Thomas Carlyle assinalou: «O homem é escravo das suas palavras e senhor dos seus silêncios».

Temos o direito de calar, mas, depois de dizer, assiste-nos o indeclinável dever de colocar em acto o que veio aos nossos lábios.

Nada disto é heróico. Mas vai-se tornando cada vez mais raro!

publicado por Theosfera às 11:51

A pergunta de sempre: onde está Deus?

No Céu? Seguramente. Mas também na Terra.

E, como alertava o Abbé Pierre, «Deus está especialmente no pobre que te fala neste momento. Cristo encarna neste rufião, neste ladrão, neste aldrabão. A glória de Deus encarnou em ti, que me lês, em mim, que te falo».

Palavras talvez um pouco ácidas. Mas pertinentes e muito interpelantes.

De facto, por vontade de Deus, «o homem tem uma alma; mas, antes de lhe falarmos dela, coloquemos uma peça de roupa e um tecto por cima dessa alma. Depois disso, explicar-lhe-emos o que está lá dentro».

Não se trata apenas «de dar algo de que viver, mas de oferecer aos infelizes razões para viver»!

publicado por Theosfera às 07:37

O que é, afinal, um grande livro?

Vergílo Ferreira: «Um grande livro não é bem o tema e personagens e situações e escrita e tom e tudo o mais que se quiser: é o que sobra disso tudo e se não identifica com nada disso. E todavia tal grande livro é mesmo tudo isso com que se identifica»!

publicado por Theosfera às 07:31

A ousadia não é o oposto da prudência.

Há momentos em que a própria ousadia recomenda um pouco de prudência.

E há alturas em que a própria prudência aconselha um pouco de ousadia.

Era assim que pensava Mariano da Fonseca: «Há muitas ocasiões em que até a prudência recomenda que nos aventuremos»!

publicado por Theosfera às 07:29

Pensar não pode ser um mero deleite. Pensar tem de ser um acto voltado para a vida.

É por isso que Pierre Dac achava que «de nada vale pensar, é preciso reflectir primeiro».

A reflexão é uma nova flexão sobre o que nos ocupa e preocupa: a vida!

publicado por Theosfera às 07:26

Hoje, 13 de Julho, é dia de Sto. Henrique, Sta. Cunegundes e Sta. Angelina de Marsciano.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 05:22

Estamos. Não estamos.

Estamos. Logo deixamos de estar.

Estamos aqui. Depressa estamos ali.

Estamos na vida. Estamos na morte.

Estamos, muitas vezes, mortos na vida. Esperamos estar vivos na morte.

A fé não é um analgésico. É uma esperança que arranca de uma experiência. A de alguém que morreu e ressuscitou.

Jesus não é o paradigma de uma vida alienada. É a âncora para uma existência com sentido.

É tão difícil passar por certas experiências. É praticamente impossível falar de certas experiências.

A saudade de quem morre faz continuar mais ligados a quem nunca deixa de permanecer vivo. Em Deus. Em nós!

publicado por Theosfera às 00:24

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro