O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 06 de Junho de 2013

Eis a verdadeira (e a mais assustadora) espiral recessiva.

Podemos estar a crescer tecnologicamente, mas nem nos apercebemos de que estamos a regredir civicamente de forma pavorosa.

No fundo, a situação resume-se a isto: não sabemos estar.

Não sabemos estar na escola, não sabemos na igreja, não sabemos estar na rua, não sabemos estar na vida. Perdemos a compostura.

O excesso de informalidade convive, intimamente, com uma crescente ausência de critérios.

No limite, não advertimos as diferenças. Estar numa esplanada ou estar numa igreja chega a ser (quase) a mesma coisa. A displicência é igual, igualmente confrangedora.

Começa a ser frequente mastigar pastilhas elásticas numa sala de aula ou numa igreja.

O estranho é o ar estranho de alguns quando alguém chama a atenção. «Qual é o problema?» - alegam.

E é assim que, sem darmos conta, a banalidade se apodera de nós.

Quando se tenta dar um passo (ainda que um) no precipício, acaba-se por só se terminar no fundo.

Agredir um colega ou matar um vizinho são ocorrências que se vão tornando frequentes.

Importa reflectir. Urge inflectir.

Enquanto o tempo nos dá tempo!

publicado por Theosfera às 19:33

Jacques Delors esteve em Portugal e falou de «choques». De três concretamente: do choque da globalização, do choque da soberania e do choque dos «erros humanos».

É este último o que mais nos tem tocado.

E o mais grave é que aqueles que se propõem corrigir os erros acabam por acrescentar erros, por agravar erros.

De erros em erros até onde chegaremos?

publicado por Theosfera às 10:37

A lei, quando justa, não obsta à liberdade. A lei, quando justa, é o chão da liberdade.

Só pode haver lei na liberdade. Só há-de haver liberdade na lei.

Montesquieu deu conta há séculos: «A liberdade é o direito de fazer tudo o que as leis consentem»!

publicado por Theosfera às 10:06

As ideias não são exclusivo de ninguém.

Elas batem à porta de todas as pessoas. Mas nem todas lhes darão guarida.

Bernard Shaw usou uma curiosa (e muito sugestiva) imagem: «As ideias são como as pulgas, saltam de uns para outros mas não picam todos»!

publicado por Theosfera às 10:01

O sábio é humilde. Por isso, ouve mais do que fala.

Casimiro Brito escreveu: «Cala-se o sábio quando julga ter encontrado a verdade. Humildemente se cala».

E continua à procura. Incessavelmente. Humildemente!

publicado por Theosfera às 09:58

O conhecimento é uma oportunidade, mas também pode funcionar como uma tentação.

Há que apostar na oportunidade. E há que fazer tudo para não ceder à tentação.

Baltasar Gracián y Morales assinalou: «O homem que compreendeu outro está em condições de dominá-lo».

Tudo deve ser feito para compreender os outros. Nada deve ser realizado para dominar os outros.

Compreender os outros é difícil. Dominar os outros é muito mais fácil. Mas nunca dá bom resultado.

Ninguém pode dominar ninguém.

Só Deus é senhor. Nós somos todos irmãos.

Só a fraternidade assegura a felicidade!

publicado por Theosfera às 09:53

Hoje, 06 de Junho, é dia de S. Norberto, S. Marcelino Champagnat e S. Filipe, diácono.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 06:00

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro