O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 28 de Maio de 2013

Sonhador não é o que dorme. É o que acorda antes, é o que se levanta cedo.

Oscar Wilde percebeu: «Um sonhador é aquele que só ao luar descobre o seu caminho e que, como punição, apercebe a aurora antes dos outros».

O segredo do sonhador está na antecipação!

publicado por Theosfera às 10:49

Agustina Bessa-Luís: «Os povos em busca de originalidade não existem; existem os funcionários da inteligência que julgam ir ao encontro das aspirações dos povos dando-lhes uma dimensão excepcional».

Mas, ao menos, esses «funcionários da inteligência» puxam pela auto-estima dos povos, levando-os a acreditar que há um horizonte para lá da fatalidade dos números!

publicado por Theosfera às 10:46

Muito subtil a distinção de Christiaan Huygens: «A vida é um sonho, mas sonhar não é viver».

A vida é um sonho que se vai realizando.

Sem sonho, a vida empobrece. Mas só sonhando nem o sonho enriquece.

É preciso dar sonho à vida. E é fundamental dar vida ao sonho!

publicado por Theosfera às 10:40

Transmitir é ensinar? Será, sem dúvida, uma forma de ensinar.

Mas, para Xenofonte, «interrogar é ensinar».

Quando se interroga, o espírito abre-se, procura e nunca estaciona em nenhum apeadeiro do conhecimento.

Por isso e como lembrava Heidegger, «a interrogação é a oração do pensamento»!

publicado por Theosfera às 10:37

94 mil mortos depois, a Síria continua mergulhada numa guerra do poder contra o (seu) povo.

Quando soará o último tiro? Quando morrer o último cidadão?

A guerra já pôs fim a tantas vidas.

É (mais que) tempo de a vida pôr fim a esta guerra!

publicado por Theosfera às 09:15

Há na música um transporte inevitável para lugares surpreendentes.

Nem toda a música a bela. Mas até a música que não é bela encerra uma mensagem.

Já a música bela, essa, embala-nos com o suave sussurro de Deus.

Por isso, Mia Couto, que diz ter nascido para «estar calado», acertou quando confessou que «a música é uma praça divina»!

publicado por Theosfera às 09:10

Nada como ouvir (ou ler) um homem grande para melhor entender um grande homem.

 

Zubiri dizia, humildemente, que «o menos mau de si mesmo» a Ortega o devia.

 

Olegario González de Cardedal notava que o teólogo tem de aliar a «complexidade da inteligência» à «simplicidade do coração».

 

Trata-se de um apelo, mas que também pode ser visto como um reconhecimento.

 

Andrés Torres Queiruga incorpora, belamente, aquela síntese.

 

Aliás, é difícil encontrar alguém como ele onde as duas dimensões se casem tão harmoniosamente.

 

Torres Queiruga é alguém que se impõe por uma inteligência fulgurante e que se destaca por uma cordialidade absolutamente tocante.

 

Para ele, o Cristianismo não é uma trincheira nem uma cave, onde se refugiem os últimos (supostos) fiéis.

 

Para ele, o Cristianismo é uma janela por onde todos os ventos passam e uma fronteira onde todos os olhares se cruzam.

 

Torres Queiruga não se limita a reproduzir as respostas de sempre. A sua prioridade é escutar as perguntas de hoje.

 

Daí a sua preocupação em repensar, palavra que aparece no título de algumas das suas obras.

 

É preciso repensar (voltar a pensar) a fé, a criação, a redenção, a ressurreição, o mal.

 

Não quer dizer que as respostas de outrora não tenham validade. O problema é que tais respostas podem não corresponder às perguntas de hoje.

 

Torres Queiruga é, antes de mais, um homem atento, afável.

 

As suas obras deixam transparecer, acima de tudo, as inquietações do presente.

 

A sua pretensão não é resolver todos os enigmas, mas dar eco a todas as preocupações.

 

Espanta, por isso, que um homem que tanto se tem empenhado em compreender seja, tantas vezes, incompreendido.

 

Mas esse é um dos mistérios não decifrados do nosso tempo. De todos os tempos?

 

A teologia e a cultura têm uma dívida de gratidão muito grande para com este homem de vistas largas e horizontes vastos.

 

Com ele, aprendemos não apenas o valor da resposta, mas também a importância da pergunta e a centralidade da procura.

 

Andrés Torres Queiruga completa, neste dia, 73 anos de vida.

 

Os parabéns são de nós para ele. Mas as prendas são dele para nós: as suas obras, o seu testemunho, a sua fé, a sua delicadeza, o seu brilho intenso, mas nunca ofuscante.

 

Longa vida!

publicado por Theosfera às 06:58

Hoje, 28 de Maio, é dia de S. Justo e S. Germano de Paris.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 06:56

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro