O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 03 de Maio de 2013

Para muitos, a noite de ontem foi um fusível de alento para enfrentar a sobrecorrente de desalento da noite de hoje.

Os proponentes asseguram a validade das medidas que anunciam.

O problema é que tal validade não impede que surjam (sucessivamente) mais medidas.

A austeridade atrai austeridade. A austeridade acrescenta austeridade.

Ignoramos até quando. Não sabemos até onde. E começamos a não saber muito bem para quê.

Não nos estamos a ajudar a nós. É difícil perceber em que medida estamos a ajudar os outros.

O cenário arrasta-se e a situação agrava-se.

Vamos dormir sobre os problemas. Amanhã, iremos acordar diante deles.

O caminho é estreito. Deixar-nos-ão percorrê-lo?

publicado por Theosfera às 23:37

Muito se tem discutido sobre a educação.

Grande é o investimento (não só financeiro) na educação e muito grande parece ser a insatisfação que gravita no universo da educação.

Muito se conquistou nos últimos tempos. Mas muito se foi perdendo também.

Ganhámos em tecnologia, em agilidade, em conhecimentos sectoriais. Fomos perdendo em humanismo, em cultura geral, em complexidade.

Importaria perceber que não basta que o professor seja professor. O professor, acima de tudo, tem de ser mestre.

O professor fornece conhecimentos. O mestre oferece um testemunho, um padrão de conduta, um referencial de valores.

Neste mesmo sentido, o aluno também não se pode limitar a ser aluno. Tem de procurar ser discípulo.

O aluno ouve o mestre. O discípulo aprende com o mestre, convive com o mestre, segue o mestre!

publicado por Theosfera às 18:57

A oração implica a caridade e a justiça.

Explica o Papa Francisco: «Se uma pessoa não cuidar do seu irmão, não pode falar com o pai do seu irmão, com Deus»!

publicado por Theosfera às 10:53

Apertado pelos credores, entalado pela realidade, asfixiado pela pressão, tolhido pela fadiga e bloqueado por notório desgaste, o executivo prepara-se para nos continuar a dar mais (ou ainda pior) do mesmo que nos tem dado.

Alguém vislumbra uma alternativa?

Não deixemos que degolem a nossa esperança!

publicado por Theosfera às 10:38

Não verberaria, com a contundência de Nélson Rodrigues, a unanimidade. Mas é preciso tomar as devidas cautelas.

Paul Valery avisa: «O que tem sido acreditado por todos, e sempre, e em toda a parte, tem toda a probabilidade de ser falso»!

publicado por Theosfera às 10:28

Interessante esta anotação de Giacomo Leopardi: «As crianças acham tudo em nada, os homens não acham nada em tudo».

São as crianças que são ingénuas? Ou não serão os adultos que se tornaram opacos?

publicado por Theosfera às 10:23

É importante ter cuidado com as companhias. Até com a companhia que nós fazemos a nós mesmos.

Ambrose Bierce alertou: «Só: em má companhia». Nem sempre, mas muitas vezes pode ser.

A solidão não pode estancar a abertura. Mesmo sós, é fundamental que não nos sintamos sozinhos!

publicado por Theosfera às 10:20

A plena objectividade não existe; é quimérica.

Acabamos por ser aquilo que os outros dizem de nós.

O problema é que pode haver muita injustiça nos meandros destas avaliações.

Atenção, por isso, à advertência de Vieira: «As obras de um herói, postas a uma luz escura da razão e da vontade, são borrões que ofendem; à melhor luz do entendimento são primores que admiram»!

publicado por Theosfera às 10:17

O ócio não é só a inacção.

A preguiça mais deletéria (e mais ilusória) não é não fazer nada; é pensar que os outros farão o que só a nós cabe fazer.

Vergílio Ferreira já nos avisou: «Para que percorres inutilmente o céu inteiro à procura da tua estrela? Põe-na lá».

Na vida, podemos receber muitas ajudas. Mas há uma coisa que ninguém pode fazer: viver em vez de nós!

publicado por Theosfera às 10:11

Hoje, 03 de Maio, é dia de S. Filipe, S. Tiago Menor, S. Rupert Mayer, Sta. Maria Leónia Paradis e. S. Eduardo José Rosaz.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:04

Hoje, 3 de Maio, é dia de dois apóstolos, S. Filipe e S. Tiago.

Dia também para recordar, gratamente, uma figura apostólica que muito me marcou. O senhor D. António de Castro Xavier Monteiro foi ordenado bispo nesta data, em 1964.

Jamais poderei esquecer a sua estatura eclesial, espiritual, humana e intelectual.

Também é impossível olvidar o carinho com que nos tratava.

A sua delicadeza sempre o distinguiu e nobilitou.

Uma prece sentida. Uma recordação entremeada de saudades. Profundas. Imensas.

publicado por Theosfera às 06:26

Já que, nesta conjuntura difícil, minguam as ideias, que, ao menos, não definhe a esperança.

 

Não se trata apenas de encontrar uma solução para a crise. Trata-se, antes de mais, de vislumbrar um sentido que nos permita lidar com a crise.

 

Vaclav Havel disse o essencial quando sustentou que «a esperança não é a convicção de que alguma coisa acabará bem, mas a certeza de que alguma coisa tem sentido, independentemente do modo como acabará».

 

Como referiu Eduardo Lourenço, Portugal assemelha-se a «um milagre contínuo». Estamos sempre a vacilar, mas ainda não caímos.

publicado por Theosfera às 03:36

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro