O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 24 de Abril de 2013

Faz hoje oito anos que Bento XVI iniciou o seu pontificado.

Foi sempre fiel - fidelíssimo - ao programa então anunciado: «não fazer a minha vontade».

Deus resplandeceu admiravelmente nas suas palavras e nos seus gestos.

Obrigado por tanto. Obrigado por tudo.

publicado por Theosfera às 22:26

1. A lógica explica muito, mas também ilude bastante. Há, pois, que usá-la sem medo, mas com algumas cautelas.

É possível que pouca coisa escape à lógica. Acontece que essa pouca coisa que escapa à lógica pode ser a mais importante, a mais decisiva.

 

2. O mundo até é bastante lógico. O problema é que não é inteiramente lógico. Chesterton dá um exemplo esclarecedor.

Imaginemos um habitante da Lua a olhar para o corpo humano. A primeira impressão que obterá é que o corpo humano é uma duplicação. Cada pessoa é dupla, sendo a parte direita muito semelhante à parte esquerda.

 

3. O habitante da Lua notará que existe um braço direito e um braço esquerdo, uma perna direita e uma perna esquerda, um olho direito e um olho esquerdo, uma narina direita e uma narina esquerda.

A lógica levá-lo-á a concluir, ao detectar que existe um coração voltado para um lado, que também existirá um coração voltado para o outro lado. E é aí, no momento em que a certeza parece maior, que o engano se revela total.

 

4. Isto significa que a lógica nunca pode distanciar-se da realidade. A lógica tem de seguir de perto a realidade. Esta, a realidade, é feita de muitas semelhanças, mas também é composta por muitas dissemelhanças.

Há momentos em que os elos se quebram. Há alturas em que as sequências se interrompem. Sem uma constante observação da realidade, podemo-nos tornar uma espécie de nefelibatas.

 

5. Apesar de poderosa, a lógica também falha. E é por isso que os muitos sábios — os que mais costumam manusear a lógica — também erram. Aliás, a história demonstra que os grandes sábios também incorrem em grandes erros.

Porquê? Basicamente, porque dão mais atenção às constantes do que às variáveis. Porque presumem que aquilo que acontece é uma mera decorrência daquilo que já aconteceu.

 

6. E, no entanto, a experiência atesta que a lógica não é completamente sólida. Parafraseando Zygmunt Baumann, diria que a lógica também é bastante líquida. De há uns anos para cá, tudo parece instável, fragmentado, disperso e incerto. O mito do progresso irreversível parece cair e desmoronar-se à nossa frente.

De repente e como avisa Baumann, apercebemo-nos de que «vivemos numa espécie de irrealidade nos últimos trinta anos, pensando que o crescimento era ilimitado; agora estamos em choque porque verificamos que não é».

 

7. O nosso equívoco foi acharmos que os recursos eram inesgotáveis e com acesso garantido. Fizemos do dinheiro o instrumento básico e erigimos o consumo em valor supremo. A lógica parecia imbatível.

Só que começamos a notar que o dinheiro não dá para o consumo desejado e escasseia até para as necessidades mais elementares.

 

8. Continua a haver muito dinheiro nas mãos de poucos. Mas há cada vez menos dinheiro nas mãos de muitos.

Haverá alguma justiça no meio de tudo isto? E subsistirá alguma lógica?

publicado por Theosfera às 21:29

Só por si, a razão arrisca-se a voltar-se contra si.

A razão não nasceu para ser «solteira». A razão fria pode ser tão irracional como a ausência de razão.

Adorno e Horkheimer denunciavam, há décadas: «O animismo dotava de alma as coisas; o capitalismo coisifica as almas».

A razão precisa de alma, de fé, de esperança, de solidariedade.

Caso contrário, esvazia-se, esvazia-nos!

publicado por Theosfera às 10:20

Muito espanto e muitas certezas vieram da noite de ontem.

Não faltou quem decretasse o fim do ciclo vitorioso do Barcelona.

Eu penso que é prematuro. Um acidente no caminho não é o mesmo que o fim da viagem.

O que avulta é uma evidência e uma dúvida. O Barcelona está pior sem Guardiola. Conseguirá o Bayern ser melhor com Guardiola?

Será possível melhorar os registos ou até manter o nível?

Terá o clube bávaro um prémio pela ousadia ou receberá o castigo pela temeridade? Será possível obter mais quem já mostrou tanto?

Demos a palavra ao futuro!

publicado por Theosfera às 10:12

Há quem ache que o povo aguenta.

Georges Perros dizia que o ser humano tudo suporta: «a guerra, o sofrimento, o exílio, etc. A passagem de um estado para o outro é que é terrível: o tempo de nos instalarmos».

De facto, quanto a aguentar e a suportar, aguentamos e suportamos tudo. No limite, até a morte.

Por isso é que fazemos tudo por atrasar, o mais possível, o inevitável.

Não sejamos fatalistas, nem deterministas. Procuremos dar o melhor por todos!

publicado por Theosfera às 10:06

Em tudo, há sempre mais que tudo. Machado de Assis dizia que, «por detrás de toda a acção, há sempre uma intenção».

Para que a acção seja boa, é fundamental que a intenção seja recta!

publicado por Theosfera às 09:59

A nossa vida é um permanente balanceamento entre o passado e o futuro.

Respiramos o que fomos enquanto suspiramos pelo que desejamos ser.

Fialho de Almeida expressou belamente esta espécie de «ping-pong» existencial: «Civilizado ou embrutecido, todo o homem é presa de duas forças rivais que constantemente se investem e disputam primazias. Uma, que o reporta ao passado e lhe transmite por hereditariedade as ideias, hábitos e modos de ser e de ver dos antecessores. Outra, evolutiva, que adapta o indivíduo aos meios novos, e não cuida senão de o renovar e transformar rapidamente. A vida humana não é mais que o duelo entre duas forças antagónicas»!

publicado por Theosfera às 09:55

Hoje, 24 de Abril, é dia de S. Fiel de Sigmaringa, S. Gregório de Elvira, Sta. Maria de Santa Eufrásia Pelletier, S. Bento Menni e Conversão de Sto. Agostinho.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 06:59

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro