O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 05 de Dezembro de 2012

O tempo dá. O tempo tira. O tempo retira o que antes tinha dado.

Diz um estudo da Universidade da Califórnia que, quando envelhecemos, não somos tão sensíveis aos sinais de desonestidade. Daí que seja mais fácil enganar um idoso.

O «alarme cerebral» - assegura o referido estudo - não dispara. Nesse caso, o melhor é desligar o telefone a quem tenta vender qualquer coisa. A possibilidade de engano é grande.

Mas, confesso, o que mais me aflige não é tanto a decadência destas (e doutras) faculdades. É haver quem se aproveite delas.

Trata-se de uma decadência muito maior, infinitamente maior!

publicado por Theosfera às 10:42

Os profetas costumam viver muito antes dos acontecimentos que profetizam.

Isaías ou Miqueias viveram muito antes de Jesus.

Victor Hugo, em finais de novecentos, antevia: «Virá um dia em que as armas vos cairão das mãos! Virá um dia em que a guerra entre Paris e Londres, entre São Petesburgo e Berlim, entre Viena e Turim parecerá tão absurda como hoje nos parece entre Rouen e Amiens, entre Boston e Filadélfia. Virá um dia em que vós, França, Rússia, Itália, Inglaterra, Alemanha, todas vós, nações do continente, sem perderem as vossas qualidades distintas e a vossa gloriosa individualidade, vos fundireis estritamente numa unidade superior».

Toda a gente viu nestas palavras uma espécie de anúncio da União Europeia.

Toda a gente vê nestas palavras uma unidade que (ainda) não é esta União. Tem de ser uma coisa diferente. Tem de ser uma coisa (muito) melhor!

publicado por Theosfera às 10:34

Muito dificilmente a democracia atingirá a perfeição. Mas não é essa dificuldade que a pode fazer capitular.

O mundo vive numa espécie de impasse global.

Estamos no século dos cidadãos. Mas a esmagadora maioria dos cidadãos limita-se a ver e, quando muito, a opinar. Raramente pode intervir e, quase sempre, está impedida de decidir.

Há ditaduras que se presumem democracias (e até se autoproclamam «democracias populares») porque se julgam proprietárias da vontade do povo.

A alternativa, porém, queda-se por uma espécie de «democracia minimal», em que o povo se limita a escolher os seus representantes.

No fundo, apenas escolhe os deputados. Depois, são os deputados que escolhem o primeiro-ministro. E é o primeiro-ministro que escolhe os ministros.

Alguém conhecia, quando votou, o nome do ministro das finanças?

Estas são as regras, dir-se-á. Mas terá de ser este o nosso único destino?

Acredito na transfiguração da democracia.

A democracia pode ser mais. Pode ser diferente. Pode ser melhor!

publicado por Theosfera às 10:25

A mentira nunca é perfeita. Deixa sempre um rasto. Oferece quase sempre uma pista.

Nietzsche verbalizou: «É verdade que se mente com a boca. Mas a careta que, ao mesmo tempo, se faz, diz, apesar de tudo, a verdade».

O ser humano foi feito para verdade.

Fora da verdade não sobrevive. Apenas vegeta, ainda que (aparentemente) prospere!

publicado por Theosfera às 10:15

Nada se faz sem audácia. Mas em muitos a audácia transmuta-se em temeridade. E a temeridade (vulgo, falta de senso) estraga quase tudo.

Daí o alerta de Fedro: «A temeridade é boa para poucos e ruim para muitos».

É preciso discernir. E é necessário arriscar.

O importante é saber agir na hora certa!

publicado por Theosfera às 10:06

O sucesso tanto se assemelha a um espelho como a uma esponja.

Uma vezes, revela o talento. Outras vezes (não tão poucas como pode parecer) apaga o mérito.

Cayo Salústio deu conta: «O sucesso tem uma estranha capacidade de esconder o erro».

Regra geral, as pessoas fixam-se no que se vê e tendem a esquecer o que não se vê. E, mesmo que se veja, há quem opte por não reparar.

O sucesso tudo (ou quase tudo) desculpa. Extasiados, muitos vergam-se e exclamam: «Pode ser corrupto, mas faz, consegue». Pelo contrário, o fracasso nada (ou quase nada) tolera.

Mesmo que a pessoa seja competente, dedicada e inteligente, há quem só olhe para o fracasso.

A vida é muito injusta. Não falta quem a considere um mero palco.

Só alguns são aplaudidos. E nem sempre os melhores recebem os louros!

publicado por Theosfera às 09:58

Hoje, 05 de Dezembro, é dia de S. Martinho do Dume, S. Frutuoso, S. Geraldo, S. Bartolomeu Fanti, S. Filipe Rinaldi e S. Nicolau Stensen.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:05

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9


27
28



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro