O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 17 de Novembro de 2012

Muito se fala da dicotomia entre a classe política e a sociedade.

Parte-se do princípio de que estamos perante duas entidades homogéneas.

Ora, isto está muito longe de ser verdade.

E se a classe política já é bastante heterogénea, a sociedade é muito mais diferenciada, inorgânica. Acresce que esta dicotomia propende para o maniqueísmo. A classe política será o pasto dos males frente a uma sociedade boa.

Também aqui há uma falha de precisão. Na sociedade também há muitos focos de maldade, de corrupção.

Acontece que a classe política está mais exposta. O que nela se passa é mais comentado.

Mas não percamos de vista que a classe política emerge da sociedade. Acaba, por isso, por reflectir as suas virtudes e os seus defeitos. (Talvez mais os seus defeitos).

Um tópico que devia merecer análise é o seguinte: porque é que a sociedade bloqueia o caminho aos melhores? Porque é que impede que os melhores cheguem ao poder?

publicado por Theosfera às 15:54

O homem já conseguiu muito, mas ainda não conseguiu bastante.

O homem, com o seu engenho, é capaz de construir e de destruir, de programar e de avaliar, de suspender e de recomeçar.

O homem é capaz de projectar e de prever. Mas, ao contrário do que ele pretenderia, não tem sido capaz de controlar.

Já na antiguidade, Heródoto notou: «De todos os infortúnios que afligem a humanidade, o mais amargo é que temos de ter consciência de muito e controlo de nada».

Também é verdade que o mundo seria pior se o homem tudo controlasse.

O mundo mantém um enorme capital de mistério.

O importante é tomar consciência de que o mundo ainda é capaz de surpreender.

Por muitas cautelas que tomemos, nunca estamos totalmente preparados!

publicado por Theosfera às 11:57

Por mais que tentemos, por muito que nos esforcemos, não somos capazes de parar o tempo.

Podemos parar no tempo, mas o tempo não pára.

O homem, tão engenhoso nas suas invenções, não consegue condicionar o tempo.

Até o tempo mais feliz não pára. Avança e, não raramente, leva-nos a mergulhar nas águas pantanosas da infelicidade.

Uma única coisa parece fazer parar o tempo: a saudade. Mário Quintana alertou: «O tempo não pára, só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo».

A saudade não deixa avançar o tempo. Ou, melhor, mesmo quando ele avança, não extingue pessoas nem apaga vivências.

Há, na saudade, um misto de presença e de ausência. Como percebeu Torres Queiruga, «a saudade é a presença na ausência».

É por isso que a saudade dói: porque é ausência. Mas é por isso também que a saudade conforta: porque (também) é presença!

publicado por Theosfera às 11:43

Onde está, afinal, a felicidade? No ter?

O certo é que quanto mais se tem mais vontade se tem de ter.

O ter gera uma volúpia que nunca se sacia, uma cupidez que jamais se satisfaz.

Os muito ricos parecem assim tão infelizes como os muito pobres, apesar dos sorrisos telegénicos que possam soltar.

A maior felicidade está no bem: no bem que se recebe e, acima de tudo, no bem que se faz.

Tolstoi não hesitava: «A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira».

Não é fácil fazer o bem. A maldade tenta muito e parece poderosa.

É difícil fazer o bem no meio do mal.

Mas tentemos uma vez, outra vez e outra vez. E vejamos o que sentimos!

publicado por Theosfera às 11:33

Há horas que correm como breves minutos. Há minutos que se arrastam como longas horas.

Já Plínio, em plena antiguidade, notava: «Quanto mais feliz, mais breve é o tempo».

O povo também diz que aquilo que é bom acaba depressa.

A própria vida, mesmo que dure mais de cem anos, é sempre tida como breve.

Depois de tudo passar o que não passa é a recordação, é o bem que se deixa, a paz que se semeia!

publicado por Theosfera às 11:23

Hoje, 17 de Novembro, é dia de Sta. Isabel da Hungria, Sta. Filipa Duchesne, Sto. Aniano, Sta. Hilda, S. Gregório de Tours e S. Hugo.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:03

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9



26


Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro