O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 06 de Outubro de 2012

Hoje, 06 de Outubro, é dia de S. Bruno, Sta. Maria Francisca das Cinco Chagas, S. Diogo de San Vítores, Sta. Maria Ana Mógas de Funtcuberta, Sta. Fé e S. Francisco Gárate.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:04

Sexta-feira, 05 de Outubro de 2012

Hoje, 05 de Outubro, é dia de S. Plácido, Sta. Flor, S. Raimundo de Cápua, S. Bartolomeu Longo, Sta. Faustina, S. Francisco Xavier Seelos e St. Alberto Marvelli.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:04

Quinta-feira, 04 de Outubro de 2012

É o sentimento que nos permite sorrir. É o sentimento que nos permite chorar.

É o sentimento que nos leva a fazer o melhor. E é o sentimento que, por vezes, nos conduz ao pior.

É o sentimento que nos transporta à alegria. E é o sentimento que nos aproxima da dor.

Já dizia Leonardo da Vinci: «Onde há muito sentimento, há muita dor»!

publicado por Theosfera às 16:23

Mais uma degola nos que já estão a ser degolados. E o grave é que aquilo que já é mau pode ainda tornar-se pior.

John Garland Pollard dizia que «o imposto é a arte de depenar o ganso fazendo-o gritar o menos possível e obtendo a maior quantidade de penas».

O problema é que esta «solução» não resolve; agrava.

Os cidadãos estão a contribuir com mais receita. E o Estado?

Onde está a tão prometida (mas sempre adiada) redução da despesa?

Sim, está a haver uma redução na despesa nos salários das pessoas!

Parafraseando Primo Levi, se isto é uma reforma...

publicado por Theosfera às 16:22

Se quer aumentar a receita fiscal, diminua os impostos.

Esta é uma máxima que qualquer leigo conhece. Mas o caminho que os doutos seguem parece ir numa direcção oposta.

O IVA na restauração aumentou. As receitas estão a diminuir. São menos 947 milhões de euros que o Estado perde com esta medida.

São dados que constam num estudo recente. Para reflectir. Para inflectir?

publicado por Theosfera às 16:21

Os cidadãos estão saturados da realidade e asfixiados pelo discurso.

A realidade esmaga, o discurso entedia.

Todos acenam com alternâncias. Ninguém avança com alternativas.

O ponto de partida é a resignação. O ponto de chegada parece ser a depressão.

Não haverá alguém que diga que outro caminho é possível?

Mesmo que não o veja, ao menos que o proponha, que o anuncie e que nos ajude a procurá-lo.

Dá a impressão de que já estamos derrotados antes do «jogo».

É preciso acreditar.

Na hora que passa, carecemos de um capital de ânimo, de um suplemento de alma!

publicado por Theosfera às 16:19

A realidade dói. E o discurso mói.

Tenho pena. Mas o debate no parlamento é penoso.

Nenhum rasgo. Pouca consistência. Muito fogo cruzado.

Bastos egos. Pouco país!

publicado por Theosfera às 16:18

Num mundo de altos e baixos, de exploradores e explorados, de senhores e escravos, Francisco de Assis ensina-nos o melhor trato entre os seres humanos: irmão.

Ser homem é ser irmão. De todos os outros homens!

publicado por Theosfera às 07:03

Hoje, 04 de Outubro, é dia de S. Francisco de Assis, Sta. Calistena e Sto. Adaucto.

Retenhamos o conselho do «Poverello» e sejamos «simples, humildes e puros».

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:02

A esta hora, o povo sente-se duplamente empobrecido, despossuído e desamparado.

A Proposição (chamemos assim ao Governo) operou mais um enorme agravamento dos sacrifícios.

A Oposição contesta. Compreende-se. Concorda-se. Mas não basta.

A Oposição também tem de ser Proposição.

Que propõe a Oposição para superar a crise e não sobrecarregar o povo?

publicado por Theosfera às 00:13

Quarta-feira, 03 de Outubro de 2012

Muita gente pergunta: como é possível haver quem aguente a hostilidade, a animosidade, a insinuação e a calúnia sem dizer uma palavra em sua defesa?

Nietzsche (quem diria!) responde: «Quem tem uma razão para viver pode suportar quase tudo»!

Essa razão para viver é mais forte do que tudo o resto.

É por isso que Viktor Frankl, que passou pelo campo de extermínio de Auschwitz, confessa que se «morre menos por falta de comida e medicamentos do que por falta de esperança, do que por falta de alguma coisa pela qual viver»!

publicado por Theosfera às 16:11

Aparentemente, a democracia está em expansão. Mas ainda há quem pense que a democracia está em regressão.

Parece estranho, mas pode ser verdade. Formalmente, aumenta o número de países com regimes democráticos. Mas na substância a democracia pode estar a regredir.

Por dois motivos.

Porque as decisões que realmente contam são tomadas por cada vez menos pessoas. E porque os eleitos estão cada vez mais distantes dos eleitores.

O mais incógnito habitante de Trás-os-Montes saberá o que o espera da boca de alguém que vai comunicar, em Lisboa, medidas que foram aprovadas em Bruxelas!

A vontade dos povos conta cada vez menos...

publicado por Theosfera às 11:29

O pior que se pode fazer a uma pessoa não é só desrespeitá-la. É sobretudo não reparar nela.

Há pessoas em quem nem sequer reparamos. Como notava John Adams, «são pessoas que caminham e vagueiam, ignoradas. No meio da multidão, ninguém as critica. Não as censuram, nem as recriminam. Simplesmente não as vêem».

Grave. Muito grave. Tente reparar nas pessoas em quem ninguém repare. Procure ir em encontro daqueles que vão sós. No meio de nós. No meio de tantos!

publicado por Theosfera às 11:18

As leis regulam as coisas. Mas dificilmente as criam.

Quem cria as coisas são as decisões. E a maior parte das decisões que criam as coisas estão à margem das leis.

Já na Antiguidade, Heraclito achava que a guerra é o pai de todas as coisas.

Joschka Fischer entende que a crise é a mãe.

Há quem defenda que a crise está a impor uma união bancária, uma união fiscal e uma união política. Se a vida é cada vez mais global, é natural que o poder também seja cada vez mais global.

Essa poderá ser a solução. Mas quem nos garante que essa também não possa ser a perpetuação dos problemas?

Não haverá o risco de um governo global será a ampliação das fragilidades dos governos locais?

Antes, pois, de pensar na deslocação do poder é fundamental repensar a própria essência do poder!

publicado por Theosfera às 10:28

Querer é poder. Mas não querer também pode ser poder.

Fernando Pessoa dizia: «A renúncia é a libertação. Não querer é poder».

Muitas vezes, o «não» também transporta um «sim»!

publicado por Theosfera às 10:16

Vivemos dominados pela pressa.

A pressa gera pressão.

A velocidade oferece rapidez, mas retira serenidade. E sem serenidade pouco (ou nada) se consegue. Razão tinha, pois, James Allen: «O homem sereno descobre em si mesmo a fonte da felicidade e do conhecimento, fonte que nunca seca»!

A serenidade é um repouso que nos permite recuperar a alegria (tantas vezes) perdida. E desperdiçada!

publicado por Theosfera às 10:12

Um livro não nos afasta da vida. Mas a vida ensina mais que todos os livros.

Os melhores livros são aqueles que funcionam como janelas da alma, como espelhos da vida.

Pablo Neruda escreveu: «Livro, quando te fecho, abro a vida».

Não é preciso fechar o livro para abrir a vida. Mas é fundamental escutar a vida quando se (re)abre o livro!

publicado por Theosfera às 10:04

Muito perspicaz foi Pierre Beumarchais quando escreveu: «Provar que tenho razão significaria reconhecer que posso estar errado».

É sempre melhor ser propositivo do que justificativo. Mais vale ser pró-activo do que reactivo.

Quando queremos provar algo temos de ter presente que esse algo nos convence a nós. Poderá convencer os outros, mas não é totalmente seguro.

As nossas provas são o certificado da nossa força, mas podem ser também o documento da nossa fragilidade.

Em tudo pode ser encontrado (também) o seu contrário!

publicado por Theosfera às 09:58

Hoje, 03 de Outubro, é dia de S. Francisco de Borja, S. Veríssimo, S. Máximo, Sta. Júlia, Sto. Evaldo e Sto. Evaldo (irmãos) e S. Columba Marmion.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:09

Terça-feira, 02 de Outubro de 2012

Este, o nosso, é o tempo dos três t´s.

Estamos, de facto, no tempo da transição, da transformação e da turbulência.

Quem o diz é o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon.

Tudo está a mudar. Tudo está a mudar aceleradamente. E, nesta aceleração da mudança, a turbulência é inevitável, embora raramente desejável.

O que mais ressalta, dentro deste processo planetário, é a impotência dos líderes e das instituições. Vamos fazendo o papel de notários.

Limitamo-nos a registar (e a lamentar) o que vai acontecendo.

É isto que me preocupa.

Creio numa mudança que seja capaz de gerir (e alterar) o rumo dos acontecimentos.

Quando?

publicado por Theosfera às 10:51

Um dos critérios para aferir a maturidade de uma pessoa está na forma como reage aos momentos de adversidade. Porque, de facto, esse é o maior teste.

É claro que a tristeza e o abatimento visitam todas as vidas em (quase) todas as horas.

A reacção perante essas situações é que faz a diferença.

Alexander Pope achava que «suportam melhor a censura os que merecem elogio».

De facto, às vezes a censura resulta da incapacidade que muitos têm em reconhecer. E é por isso que existe uma grande animosidade para com os que praticam bem. Basta olhar para os casos de Jesus, Oscar Romero ou Madre Teresa.

Quem faz o bem não anda à procura de elogios. E, de caminho, não receia as censuras. Estas fazem doer.

Moem. Mas não esmagam!

publicado por Theosfera às 10:33

Revejo-me em Quintiliano quando proclama que «a consciência vale por mil testemunhas».

Muitas vezes, as testemunhas não depõem a favor dos justos nem a favor da verdade.

Uma consciência recta, escorada numa alma pura e numa vida limpa, é a maior (quiçá, a única) consolação!

publicado por Theosfera às 10:23

Ninguém tem o monopólio da verdade. Todos nós estamos expostos ao erro.

Mas, neste caso, antes errar por se inocentar um culpado do que por condenar um inocente.

Voltaire afirmou: »Mais vale arriscarmo-nos a salvar um culpado do que a condenar um inocente».

Na dúvida sempre a tolerância e nunca a precipitação!

publicado por Theosfera às 10:19

O que se diz nem sempre é guiado pelo que se pensa. Muitas vezes, é também dominado pelo que se sente.

Herber Spencer assinalou: «A opinião é determinada, em última análise, pelos sentimentos e não pelo intelecto».

Não diria tanto. O intelecto interfere sempre. Mas, como é óbvio, está condicionado (e iluminado) pelos sentimentos.

Zubiri falava de «inteligência sentiente», da inteligência que sente.

Acontece que, na hora que passa, há sentimentos pouco temperados. E há palavras que fazem eco desse destempero.

Um pouco de comedimento seria, pois, sadio.

No hebraico, a raiz «dbr» tanto dá para «palavra» como para «peste». E não há dúvida de que há palavras que empestam e que, nessa medida, engodam.

Um reforço da serenidade será, por isso, bem-vindo!

publicado por Theosfera às 10:11

Hoje, 02 de Outubro, é dia dos Stos. Anjos da Guarda, S. Tomás de Bereford e Sto. António Chevrier. Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:05

Segunda-feira, 01 de Outubro de 2012

Hoje, 01 de Outubro, é dia de Sta. Teresa do Menino Jesus e da Santa Face e S. Bavão.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:06

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro