O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 20 de Outubro de 2012

O Prémio Nobel da Paz não poderia ser para Malala?

Esta menina de 14 anos luta pela vida porque lutou pelo direito de estudar.

Neste milénio dos direitos humanos, ainda há quem seja perseguido por querer aprender, por querer conhecer.

Não sabemos se Malala Yousafsai sobreviverá. Mas a sua coragem não nos pode abandonar!

publicado por Theosfera às 11:56

«Ainda não é o fim nem o princípio do mundo. Calma. É apenas um pouco tarde».

O título do primeiro livro de poemas de Manuel António Pina é inspirador.

De facto, é um pouco tarde.

Mas ainda não será demasiado tarde para acreditar que o melhor é possível!

publicado por Theosfera às 11:47

Crise. Palavra quase maldita.

A crise é uma espécie de elástico que chega a todo o lado.

Mas quase todos convergem num ponto. A crise é sobretudo económica. Será?

A crise económica é o sintoma de uma crise bem mais funda.

A crise económica resulta de uma crise política, de uma crise moral, de uma crise civilizacional.

E contribui para que essa crise política, moral e civilizacional alastre ainda mais.

Precisamos de contabilistas, de gestores e de economistas sem dúvida. Mas precisamos muito mais de filósofos, de poetas, de místicos e de profetas.

É importante saber contar. Mas não é menos necessário saber compreender o que passa.

Não é só a fazer contas que vamos sair daqui!

publicado por Theosfera às 11:46

O pensamento único é o pensamento que capitula, que se rende, que praticamente desiste.

O pensamento único tem um pressuposto que assusta. Assegura que a realidade é inevitável.

O pensamento único não tem raízes nem horizontes.

Não medita sobre o passado. Não olha para o futuro. Naufraga no presente. Afunda-se no instante. Para renascer, o pensamento não se pode resignar.

A realidade é como é. Mas não só. A realidade pode ser o que queremos que ela seja.

A realidade que é tem as feições daqueles que a fizeram.

A realidade também pode ser o que nós quisermos.

Mesmo que não venha a ser o resultado dos nossos sonhos, que pelo menos tenha a marca das nossas tentativas, a impressão dos nossos esforços.

Não deixemos de ousar!

publicado por Theosfera às 11:21

Muito há para começar, mesmo quando parece que tudo está a terminar.

Os começos apontam para o fim. Cada fim prenuncia novos começos.

Não se trata de um eterno retorno, mas de um permanente recomeço.

Neste sentido, é bem oportuna a recomendação de Scott Fitzgerald: «A vitalidade não se revela apenas na capacidade de persistir, mas também na capacidade de começar tudo de novo»!

Uma única coisa não se deve começar. Não se deve começar a desistir. Nem se deve desistir de recomeçar. Nem o fim põe em perigo o novo começo.

Goethe dizia que «a vida é a infância da imortalidade».

Por entre quedas e recuos, temos a certeza de que vamos a caminho do cume, da plenitude, da meta, de algo que os nossos sonhos divisam ainda que as nossas palavras não abarquem.

O melhor está para vir. O melhor não é dizível. Mas há-de ser vivido!

publicado por Theosfera às 11:04

Hoje, 20 de Outubro, é dia de S. Maria Bertila Boscardin, S. Contardo Ferrini, Sta. Iria, S. Caprásio e Sta. Madadelena de Nagasaky.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:10

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro