O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 26 de Setembro de 2012

A educação consegue muito, mas não consegue tudo. Há sempre um «fundo» que parece inamovível, como se estivesse encastoado na alma.

Já Séneca se apercebera: «Tudo o que é enraizado e congénito pode ser atenuado pela educação, mas não vencido».

Temos de estar atentos.

Há muitas surpresas na vida. A começar pela surpresa que cada um é para si mesmo. E nem sempre essa surpresa é agradável!

publicado por Theosfera às 23:18

Neste tempo de disforia reinante, causa suma impressão o ar indisfarçavelmente eufórico de um segmento de comentadores.

São os que se apresentam como especialistas (proprietários?) dos comportamentos humanos.

Parece que sabem tudo: os problemas e até as soluções.

Acontece que, apesar do esgar impante exibido por tais peritos, os problemas persistem e as soluções escasseiam.

Eles asseguram que sabem o que se passa e mostram-se seguros de que os outros nada sabem.

Com tanto «sábio», como é que as tragédias não se extinguem?

publicado por Theosfera às 22:43

Abraham Lincoln não foi só um brilhante político. Foi também (e bastante) um sábio perscrutador da alma humana.

«Quase todos os homens são capazes de superar a adversidade. Mas, se quiser pôr à prova o carácter de um homem, dê-se-lhe poder».

Mas, talvez, o melhor seja não experimentar. Os factos são eloquentes. E não depõem muito favoravelmente em relação aos detentores do poder!

publicado por Theosfera às 21:16

Nesta altura, muito se fala do Estado Social e tão pouco se fala da Doutrina Social.

O Estado Social parece estar em risco. A Doutrina Social dá sinais de estar ausente.

A Igreja tem um vasto património nesta área. É pena que não recorra mais a ele.

O empenho na caridade e na proximidade com os pobres não impede que se aposte na procura de alternativas. A Igreja tem de dar o pão e de erguer a voz.

Este é um tempo favorável para ser o eco do clamor dos mais desfavorecidos.

O cardeal Carlo Maria Martini, recentemente falecido, reconhecia, pouco antes de morrer, que «a Igreja está cansada. As nossas igrejas são grandes e estão vazias e o aparelho burocrático alarga-se». A Igreja tem de ser o eco de Jesus, que, sendo para todos, escolheu sempre estar ao lado dos mais pequenos e oprimidos!
publicado por Theosfera às 21:09

«Não nos deixeis cair em tentação», eis o que pedimos a Deus com as palavras de Seu Filho.

Pedimos-Lhe. Porque sabemos (ou devemos saber) que, sem Ele, a possibilidade de cair é grande.

Sem Ele, nada podemos fazer (cf. Jo 15, 5). Com Ele, tudo conseguiremos realizar (cf. Fil 4, 13).

Daí o convite de Tolentino de Mendonça: «Rezemos devagar estas palavras até que elas se tornem realmente nossas. Não nos deixeis, Senhor. Não nos deixeis quando as paredes do tempo se tornam instáveis e as palavras de hoje têm ainda a dureza do irremediável de ontem. Não nos deixeis quando recuamos, quando quase nos inclinamos, dobrados e vencidos, perante o avanço inflexível daquilo que nos divide. Não nos deixeis atravessar sozinhos os alagados corredores da incerteza ou perder-nos no sentimento de fadiga e descrença. Não nos deixeis tombar no descrédito quanto à vida. Não nos deixeis cair, Senhor»!
publicado por Theosfera às 19:13

Regra geral, a maldade não nos espanta. Mesmo quando nos fere e magoa, ela dificilmente nos surpreende.

Hermann Melville deixou-se dizer: «Que maravilhosamente familiares são os loucos!».

Nem sempre «maravilhosamente». Quase sempre «familiares»!

publicado por Theosfera às 18:17

Três polícias são agredidos todos os dias.

Se até aqueles que nos defendem são atacados, isso significa que estamos muito expostos e bastante vulneráveis.

O impulso parece ser mais eficaz do que a autoridade.

É tempo para reflectir. É hora de agir.

A violência não resolve nada!

publicado por Theosfera às 16:11

Tudo o que deixamos de nós acaba por provocar complicações depois de nós.

Uma única excepção parece confirmar esta estranha regra: as saudades.

Para Miguel Torga, «deixar saudades é o único legado que não traz complicações aos herdeiros»!

publicado por Theosfera às 11:50

Foi a preparação e a acção. Agora é a reflexão.

O que ressalta é que o 15 de Setembro se vai impondo como um sinal.

Foi um sinal poderoso. Envolveu os que participaram. E não deixou de afectar os que não puderam participar.

Aliás, os ecos persistem. O 15 de Setembro, a bem dizer, ainda não terminou.

Aquele dia foi um despertar, uma alvorada. E, atenção, o que há de novo é a transversalidade do seu impacto.

O que as manifestações têm mostrado não é apenas a falência do poder; é também o esgotamento do actual sistema partidário.

É isto que é mais perigoso e, por outro lado, mais alentador.

A rua não se revê nas suas escolhas. Os cidadãos não querem continuar a a ter um papel passivo, limitando-se a eleger aqueles que lhes são indicados.

Será que é possível emergir alguém a partir da população?

Vivemos em estado de excepção.

Que este estado de excepção não signifique suspensão de direitos. Que signifique alargamento e aprofundamento de direitos, deveres e esperança!

publicado por Theosfera às 10:14

Os abusos são uma realidade e um sintoma.

Eles gangrenam as pessoas e entorpecem as instituições. Mas nem todas. Um abuso destrói o bem, mas faz sobreviver o mal.

Pierre Édouard-Lemonty deu conta: «Os abusos, que destroem as boas instituições, têm o privilégio fatal de fazer subsistir as más».

Alerta, pois!

publicado por Theosfera às 10:03

«A mocidade é, como a primavera, uma estação sobrestimada».

Samuel Butler terá a sua dose de razão.

Mas nem acho que o problema seja a mocidade ser sobrestimada.

O problema é a terceira idade ser subestimada!

publicado por Theosfera às 09:50

«Não se diz nada que já não tenha sido dito».

Terêncio foi bastante pertinente.

No fundo, todos somos eco da palavra que outros proferiram.

Todos fazemos ressoar a palavra que flutua em todas as almas. E que nem está ausente do próprio silêncio!

publicado por Theosfera às 09:47

Hoje, 26 de Setembro, é dia de S. Cosme, S. Damião, Sto. Eleázar, Sta, Delfina, S. Cipriano, Sta. Justina, Sta. Maria Vitória Teresa Courdec e S. Gaspar Stangassinger.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:08

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro