O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 31 de Julho de 2012

Eis o fim à porta. Eis o começo à vista.
Aquilo que parece tão distante (fim e princípio) afinal é tão próximo.
Estamos sempre a terminar.

Estamos sempre a recomeçar: o dia, o tempo, a vida!

publicado por Theosfera às 23:20

De Sto. Inácio de Loyola, que hoje se celebra, sempre conservei a oração que os escutas adoptaram.

 

Sempre me marcou uma petição: «Que eu faça, Senhor, o bem sem esperar outra recompensa se não saber que faço a Vossa vontade santa».

 

É maior recompensa. A única recompensa.

 

Para Moltmann, um servo nem de um obrigado deve estar à espera. Também é verdade que, muitas vezes, nunca vem. Não faz mal. O bem compensa por si mesmo. E Deus vê tudo.

 

Tudo.

publicado por Theosfera às 13:12

Paul Léautaud sentenciou: «Ser inteligente é ser desconfiado, mesmo em relação a si próprio».

Não diria tanto.

Ser inteligente não será necessariamente ser desconfiado. Mas é, sem dúvida, ser prudente.

Ninguém pense que se conhece totalmente a si mesmo. Essa é uma aquisição que só se obtém no fim. O oráculo de Delfos faz-nos esse apelo: «Conhece-te a ti mesmo».

Nietzsche advertiu que «o homem é o ser mais distante de si mesmo».

No fundo, conhecer-se é ir-se conhecendo. O que significa que, ao conhecermo-nos mais, é porque, anteriormente, não nos conhecíamos bem!

publicado por Theosfera às 10:19

Charles Péguy alerta-nos de um modo (só aparentemente) provocador: «Homero é novo, esta manhã, e talvez nada seja tão velho como o jornal de hoje».

É, de facto, uma sensação especial e, às vezes, um pouco estranha.

O que nos parece antigo tem uma vitalidade que espanta. E o que parece mais actual tem um desgaste que impressiona.

Eu, que sempre apreciei os jornais, sou tocado por este desencanto. Tudo parece comatoso, quase tumular, nas páginas da imprensa. E preciso dos clássicos para reabastecer o espírito depauperado!

publicado por Theosfera às 10:18

É muito estranho o nosso país.

O salário mínimo, dizem, não poderá subir. Mas há salários máximos que não param de crescer.

Eis um enigma para a economia. Eis um desvario para o senso de justiça!

publicado por Theosfera às 10:17

Dominados pelo encadeamento tumultuoso das coisas repetitivas, já não nos apercebemos sequer daquilo que é mais singular, daquilo que é único.

Há pessoas parecidas. Há dias semelhantes. Mas cada pessoa é singular e cada dia é único.

Nunca houve um dia 31 de Julho de 2012. Nunca voltará a haver um dia 31 de Julho de 2012.

Cada dia é uma (pequena) imagem da vida. Começa num instante, decorre com rapidez e acaba depressa.

Aproveite cada instante deste dia.

Lembre-se.

Nunca houve outro como ele. Não voltará a haver outro igual a ele!

publicado por Theosfera às 09:44

Hoje, 31 de Julho, é dia de Sto. Inácio de Loiola (fundador da Companhia de Jesus) e S. Germano.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:04

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro