O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 21 de Julho de 2012

Sabemos que morrer é parar. Mas será que, como diz o povo, «parar é morrer»?

Eu diria que nem sempre.

Parar pode não ser, necessariamente, morrer.

Parar pode ser uma oportunidade para andar por onde habitualmente não andamos.

Parar pode ser uma soberana oportunidade para andar por dentro, pelo fundo, pelas raízes, pelo coração, pela alma, pelo sonho!

publicado por Theosfera às 22:34

O nosso problema é que o mundo já tem demasiado passado. E é por isso que, muitas vezes, tendemos a olhar o futuro com a sua continuação. Ou até como o seu agravamento.

Kurt Vonnegut pergunta: «O que pode um homem ponderado esperar para a humanidade na terra, tendo em conta a experiência do último milhar de anos?»

A resposta é cortante: «Nada». De facto, do passado não podemos esperar muito.

Quero, porém, continuar a crer que o futuro nos pode dar muito. Ou, pensando melhor, nós é que temos o dever de dar tudo no futuro, de dar tudo ao futuro!

Eis uma responsabilidade enorme. Eis uma missão bela!

publicado por Theosfera às 16:37

José Hermano Saraiva era dotado não só de grandes dotes comunicacionais, mas também de uma prodigiosa imaginação.

Conta ele que, sendo Ministro da Educação e querendo aumentar o salário dos professores, alguém objectou que não havia orçamento para tal.

Ele logo replicou que tinha uma solução. Onde? «Na ponta do nariz»!

Estupefactos, os seus interlocutores ansiaram por uma explicação. E o professor, que fumava cachimbo, não demorou.

«Se o preço de cada maço de cigarros aumentar cinco tostões, teremos 15 mil contos no total»!

Eis como o vício pode ser fonte de sustento para a maior escola de virtudes!

publicado por Theosfera às 16:29

Para qualquer assunto, aparece (quase sempre) uma frase de Winston Churchill, o qual, curiosamente, não tinha qualquer licenciatura.

Acerca da China, de que tanto agora se fala, terá dito o estadista britânico: «Cuidado com o dragão que dorme. Quando ele acordar, a terra tremerá»!

Parece um oráculo!

publicado por Theosfera às 16:24

O atávico atraso português no conhecimento (as excepções acabam por certificar a regra) parece estribar, segundo alguns peritos, em duas decisões das quais nunca nos recompusemos.

Já foram tomadas há séculos, mas as suas sequelas persistem. Trata-se da expulsão de dois grupos que, entre nós, detinham a liderança na ciência e no ensino: os judeus e os jesuítas.

É curioso notar como, a propósito da nossa proverbial dificuldade com a Matemática, Jorge Buescu assinala que o Marquês do Pombal teve uma responsabilidade enorme.

Os jesuítas asseguravam o ensino não só das humanidades, mas também dos números.

É preciso ter muito cuidado antes de tomar certas decisões!

publicado por Theosfera às 16:20

O conhecimento é importante, mas o excesso de conhecimento (se é lícito falar de excesso neste campo) pode gerar bloqueios.

Conhecer também leva a preocupar. Quando procuramos saber demasiadamente o resultado de uma acção, hesitamos e, quiçá, recuamos ou desistimos.

Daí a (pelo menos) subtil observação de Bossuet: «Lastimamo-nos da nossa ignorância, mas é ela que produz quase todo o bem do mundo: não prever faz com que nos empenhemos»!

publicado por Theosfera às 16:10

No Evangelho deste Domingo também se fala de descanso. Não, curiosamente, do descanso em sítios agitados, mas do descanso em sítios ermos, solitários, recolhidos.

É para aí que o Mestre leva os Seus discípulos. É aí que os convida a descansar.

Hoje em dia, tudo é facilmente padronizado. E ao frenesim dos locais de trabalho fazemos suceder o frenesim dos lugares de descanso.

Tudo tende a tumultuar nestes tempos sem paragem, sem paz, sem norte e, aparentemente, sem destino.

Que falta faz a serenidade, o aconchego de uma presença, a oferta de um sorriso, a paz de um gesto feito com cortesia e compostura.

Tentemos ser diferentes neste tempo diferente!

publicado por Theosfera às 16:04

Há palavras que escondem. Há palavras que não mostram o ser. Há palavras que só pretendem convencer. Ou seja, há palavras que só pretendem aprisionar, domesticar, amestrar.

Daí a ansiedade inclusa em muitos discursos. Daí a infecudidade de não poucas linguagens.

Urge acolher a palavra que revela, que partilha e que, nessa medida, desoxida e refrigera.

A palavra mais cativante não é, necessariamente, a que é soltada pelos lábios. É a que vem emitida pela vida. E esta até pode fluir pelo silêncio!

publicado por Theosfera às 15:47

Hoje, 21 de Julho, é dia de S. Lourenço de Brindes, Sta. Praxedas, Stos. Mártires Escilitanos e S. Daniel.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 07:11

Há trinta e um anos, tinha eu dezasseis anos. Nesse dia 21 de Julho de 1981, eu estava a ajudar o meu Padrinho que era ecónomo e secretário do Seminário. Eram férias grandes.

 

Quando vínhamos para o almoço, ouvimos três estrondos de uma estridência supina. Houve janelas que partiram, suportes das fechaduras que tombaram e uma nuvem hiroshimiana encobriu toda a cidade.

 

Uma pirotecnia explodira. Situava-se mesmo em frente do Seminário. Várias pessoas (já não sei quantas) morreram. Vi pedaços de corpos espalhados pelas vias.

 

Foi um dia horrível. Lamego foi notícia. Por causa de uma tragédia. No dia seguinte, o Primeiro-Ministro, Dr. Pinto Balsemão, vinha à cidade inaugurar o Mercado Municipal.

 

Mas a dor da véspera tudo ensombrou. Pudera!

publicado por Theosfera às 06:16

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro