O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 21 de Abril de 2012

La Rochefoucauld deixou o alerta: «A confiança que temos em nós mesmos reflecte-se, em grande parte, na confiança que temos nos outros».

Mas a inversa também será verdadeira: a confiança que temos nos outros faz aumentar a confiança em nós mesmos!

publicado por Theosfera às 12:50


Dizem os estudiosos, e basta olhar para Jesus, que o início de uma religião é o inconformismo. Sucede que, muitas vezes, a sua continuidade tende a assentar no pólo oposto: no conformismo.

E, não raramente, até se censura quem quer retomar o inconformismo dos começos.

Apoia-se quem pára e abandona-se quem quer andar.

Nunca haverá, porventura, a fórmula perfeita.

Importa, contudo, que os caminhos do futuro não fiquem sem viandantes.

Se nós não formos, outros irão!

publicado por Theosfera às 12:48


Isto não está a correr bem.

A execução orçamental está longe de infundir ânimo e de provocar sossego. A despesa do Estado aumentou 84%.

Haverá certamente justificações. Mas as pessoas sentem que não para as apoiar devidamente que a despesa existe!

publicado por Theosfera às 12:47


«Mais vale morrer como um herói do que viver como um cobarde».

Assim dizia a imprensa após o desastre do Titanic.

Acontece que os heróis fazem falta vivos!

publicado por Theosfera às 12:46

É verdade que ninguém é insubstituível. Mas o contrário também não será mentira.

Todo o ser humano é único, irrepetível. Alguém pode ocupar o seu lugar, mas ninguém repete a sua pessoa.

Se Platão e Aristóteles não tivessem existido, como seria, hoje, o nosso pensar?

Será que existiria a noção de pensar tal como a concebemos?

Procuraríamos encontrar conceitos para tudo? O que seria conhecer? O que seria matéria e força, alma e espírito?

Dizia Karl Jaspers que a filosofia fala grego.

E não precisamos de saber grego para sermos dependentes daquilo que os grandes mestres da Grécia nos legaram!

publicado por Theosfera às 00:24

As palavras não são tudo. Nem serão até o mais importante. Mas podem ajudar a entrever muito.Há palavras que perdemos na triagem operada pelos tempos. Pensava, há momentos, na palavra «eutrapelia». Mencionada por Aristóteles, na sua famosa «Ética a Nicómaco», queria mencionar o jogo e o riso, a actividade lúdica como contraponto ao peso e à sisudez do quotidiano. Teólogos medievais como Alberto Magno e Tomás de Aquino não deixaram de exaltar a «eutrapelia» como uma necessidade para o equilíbrio da vida. Procuremos, neste fim-de-semana, exercitar a «eutrapelia». Sadiamente!
publicado por Theosfera às 00:07

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro