O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Segunda-feira, 26 de Dezembro de 2011
O Natal parece ser um arcaísmo. Bonito, mas uma coisa que sabe a antigo.
Ora, o Natal é a inauguração de um mundo novo e a instauração de uma vida renovada.
O Natal é a justiça, a fraternidade e a liberdade.
O Natal não é só para cuidarmos da nossa família.
O Natal é uma espécie de despertador para fazermos do mundo inteiro uma única e grande família!
publicado por Theosfera às 22:36

Fico com a sensação de que estes dias funcionam um pouco à guisa de uma «depressão pós-Natal».

 

É a viagem do regresso, são as prendas desembrulhadas e é uma espécie de vazio na alma. A este soma-se o temor do futuro.

 

Parece que fazemos as coisas porque tem de ser. Porque parece mal não parecer bom. Vivemos de estereótipos.

 

Bento Domingues alerta: «É a partir dos excluídos que temos de começar a construir o Natal. O modelo capitalista esgotou-se».

 

Jesus Cristo «manifestou-Se sempre ao lado dos marginais e dos excluídos».

 

É urgente desfatalizar a história. Não podemos resignar.

 

As coisas não têm de ser sempre assim. Demos presentes e não esqueçamos o melhor presente: a solidariedade, o sorriso, o amor. Hoje. Amanhã. E sempre.

publicado por Theosfera às 22:34

Desgosta-me a frontalidade como pretexto para a indelicadeza.
Há quem, dizendo ser frontal, mostra ser apenas insolente, pouco, nada ou mal educado.
Mas a autenticidade é sempre reconfortante e nunca afasta.
As perguntas de muitos ateus são um convite à reflexão e à mudança. Como cantava o Padre Zezinho, «às vezes, quem duvida e faz perguntas é muito mais honesto do que eu»!
publicado por Theosfera às 22:32

Ainda não chegou e já provoca desconfianças.
2012 nem o benefício da dúvida parece suscitar. Já nos dizem que vamos ter muitas saudades de 2011.
Prefiro, entretanto, deixar-me conduzir pela esperança. Temos de contar com o pior. Mas porque não acreditar na surpresa do melhor?
publicado por Theosfera às 22:31

Uma das frases que mais recordo foi pronunciada por alguém que morreu no ano em que eu nasci.
Albert Schweitzer dizia que «o exemplo não é a melhor maneira de convencer os outros; é a única».
Todos devíamos gravar esta máxima. Evitar-se-ia que se dissesse o que meus ouvidos captaram, agora mesmo, na rua.
Hoje não houve tolerância de ponto porque o país precisa de trabalho.
Porém, os nossos parlamentares só voltam ao trabalho no dia 3 de Janeiro.
Poderá haver uma miríade de explicações. Nenhuma delas chega ao conhecimento das pessoas. O exemplo é tudo!
publicado por Theosfera às 22:29

Shakespeare exarou, há séculos, uma actualíssima verdade: «Os peixes vivem no mar, como o Homem na terra: os grandes comem os pequenos»!
publicado por Theosfera às 22:28

Não deixe que o Natal passe a passado.
O Natal também é hoje. No seu local de trabalho irá reencontrar o Menino!
publicado por Theosfera às 21:40

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12




Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro