O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Domingo, 27 de Novembro de 2011

É bom ver a alegria de um povo por causa de uma canção que, na sua génese, até é triste.

 

Mas já dizia Frank Sinatra que estava feliz quando estava triste.

 

A palavra «fado» vem de «fatum». Evoca a fatalidade. Ressuma um sabor a destino.

 

O fado acaba de ser declarado património cultura e imaterial da humanidade.

 

Um reconhecimento que aumentará o conhecimento. E uma redundância intencional.

 

Porque, sendo o fado português e sendo o português um povo em todos os povos, o fado já andava a pairar, há muito, sobre a humanidade!

publicado por Theosfera às 14:33

Há momentos que a terra toca o céu e em que o tempo desagua na eternidade.

 

Quando? Por exemplo, quando ouvimos a voz de uma criança a rezar, a ler, a cantar.

 

É Deus que desce até ao nosso coração. É o nosso coração que sobe até Deus. Ele tem uma atracção incoercível pelo que é pequeno.

 

Só no que é pequeno desabrocha a verdadeira (e única) grandeza!

publicado por Theosfera às 14:32

No Advento já é Natal.

 

No Natal continua a ser Advento.

 

É Advento no Natal porque o Natal celebra a grande chegada do Senhor Jesus à nossa história, ao nosso mundo, à nossa vida.

 

E é Natal no Advento porque nele o Senhor nasce e renasce.

 

A Eucaristia é o grande Advento e o perene Natal.

 

Creio, Senhor, que vieste ao mundo

e que no mundo permaneces.

 

Tu estás em toda a parte,

estás no Homem,

estás na Vida,

estás na História,

estás no Pequeno,

estás no Pobre.

 

Hoje como ontem,

permaneces quase imperceptível.

 

Há quem continue a procurar-Te no fausto,

na ostentação,

na majestade.

 

Tu desconcertas-nos completamente

e surpreendes-nos a cada instante.

 

És inesperado

e estás sempre à nossa espera.

 

Os momentos podem ser duros.

 

O abandono pode chegar

e a rejeição pode asfixiar-nos.

 

Tu, porém, não faltas.

 

Estás sempre presente.

Estás simplesmente.

 

Creio, Senhor,

que é na simplicidade que nos visitas

e na humildade que nos encontras.

 

Converte-nos à Tua bondade,

inunda-nos com o Teu amor,

afaga-nos na Tua paz.

 

Obrigado, Senhor, pelo Teu constante Advento.

 

Parabéns, Senhor, pelo Teu eterno Natal!

publicado por Theosfera às 10:03

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro