O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 12 de Agosto de 2011

Uns ainda não querem poupar.

 

Outros já não podem gastar.

publicado por Theosfera às 12:08

Prometeram-nos um Governo diferente e ele aí está.

 

O estilo é, de facto, muito diferente: mais comedido, menos vistoso, menos mediático, menos crispado.

 

Era impensável, aqui há tempos, um ministro das finanças marcar uma conferência de imprensa para as nove da manhã.

 

Estávamos habituados aos directos das oito da noite, a hora nobre dos telejornais.

 

Quanto ao resto, permanece tudo na mesma.

 

A troika está contente com o desempenho de Portugal e o prémio é...a continuação da austeridade!

 

Desta vez, é o gás, a luz e a água que vão ficar (ainda) mais caros.

 

Quanto à prometida redução da despesa do Estado, teremos de esperar.

 

O responsável pela situação (o Estado) lá vai impondo sacrifícios às vítimas da referida situação (os cidadãos).

 

Quem impõe sacrifícios vai prometendo que também os vai fazer. Mas, para já, só promessas e alguns sinais.

 

Quando acabará o pesadelo? Quando iremos pôr a país a crescer? Quando mudaremos de paradigma? Quando incrementaremos a solidariedade? Quando deixaremos de nos submeter aos mercados?

 

E quando inverteremos, de vez, a relação entre o Estado e as pessoas? É o Estado que está ao serviço das pessoas ou são as pessoas que estão ao serviço do Estado?

 

No limite e se tudo correr bem, teremos um Estado rico e uma sociedade pobre. Com algumas ilhas de riqueza pelo meio...

publicado por Theosfera às 12:03

Não te irrites.

 

A paciência pode não resolver tudo.

 

Mas a impaciência complica quase tudo.

publicado por Theosfera às 02:30

Um negociante mente: é humano.

 

Um cidadão foge aos impostos: é humano.

 

Um líder manipula as massas: é humano.

 

Um irmão mata o irmão: é humano.

 

Gastam-se fortunas em festas enquanto se morre de fome: é humano.

 

E é assim que seguimos o registo mais primário que o nosso raciocínio abarca.

 

De facto, humano pode ser visto como tudo aquilo que é feito pelo homem.

 

Mas, se repararmos bem, invocamos o humano sobretudo para aquilo que mais toca a desumanidade.

 

Essa justificação deixa-nos relativamente indiferentes quando as coisas estão longe.

 

Só que a desumanidade, um dia, pode visitar-nos.

 

Se o homem não vencer a desumanidade, a desumanidade acabará por vencer o homem.

publicado por Theosfera às 00:02

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9

16
17
18
19
20

21



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro