O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 16 de Abril de 2011

Vós que viveis tranquilos
Nas vossas casas aquecidas,
Vós que encontrais regressando à noite
Comida quente e rostos amigos:
Considerai se isto é um homem
Quem trabalha na lama
Quem não conhece paz
Quem luta por meio pão
Quem morre por um sim ou por um não.
Considerai se isto é uma mulher,
Sem cabelos e sem nome
Sem mais forças para recordar
Vazios os olhos e frio o regaço
Como uma rã no Inverno.
Meditai que isto aconteceu:
Recomendo-vos estas palavras.
Esculpi-as no vosso coração
Estando em casa andando pela rua,
Ao deitar-vos e ao levantar-vos;
Repeti-as aos vossos filhos.
Ou então que desmorone a vossa casa,
Que a doença vos entreve,
Que os vossos filhos vos virem a cara.

publicado por Theosfera às 22:27

Tudo o que se celebra nesta semana santa está sob o signo do mistério.

 

O omnipotente surge-nos sem poder. Ou, então, revestido do poder maior: o de Se entregar à morte.

 

Jesus está sempre com o Pai, mas confessa-Se abandonado pouco antes de expirar.

 

É por isso que as palavras deveriam estar amassadas em silêncio. As palavras, por vezes, podem apagar mais do que revelar.

 

Jesus aparece-nos descentrado de Si. Tudo n'Ele é amor, é dádiva, é entrega.

 

Importa não aprisionar Jesus em conceitos, até porque tudo em Jesus é libertação, justiça e verdade.

 

É nos caminhos da humanidade sofredora que, hoje, O voltamos a encontrar.

publicado por Theosfera às 22:17

A política é muito vasta para ficar circunscrita aos políticos.

 

Ao ouvir, esta noite, Alexandre Soares Santos, reparei que não estava diante apenas de um empresário de renome. Estava também diante de alguém com sensibilidade social, com uma percepção aguda da realidade e do rumo que deve ser seguido.

 

Acresce que se trata igualmente de alguém que não capitula.

 

A solução para o nosso país não passará, seguramente, por recriações de pendor sebastiânico. Mas não haverá forma de mobilizar pessoas como Alexandre Soares Santos para a condução do país?

 

Confesso que é preocupante a quantidade de pessoas que se recusaram a ser deputados.

 

É mais um sinal de desmobilização.

 

Temos de saber para onde vamos e o que queremos. Todos os contributos são necessários.

publicado por Theosfera às 22:00

Será que a solução passa por aqui?

publicado por Theosfera às 20:09

Era sábado santo, aquele 16 de Abril de 1927.

 

Às quatro e quinze da madrugada nasce um menino a quem puseram o nome de José.

 

Passadas quatro horas, já estava santificado pelas águas do Baptismo acabadas de benzer.

 

Tudo foi santo: o sábado santo, o baptismo santo, o padre santo e o santo padre.

 

José foi para o seminário. Foi ordenado presbítero em 1951 e bispo em 1977.

 

Em 1981 foi chamado para Roma a fim de colaborar com o Sumo Pontífice.

 

Quando pensava que a missão estava cumprida, viu que ela se tornou mais...comprida.

 

Faz, neste dia, 84 anos que nasceu o Santo Padre. Ontem José, hoje Bento.

 

publicado por Theosfera às 11:51

A economia da Suécia está a crescer mais de 4%. E os impostos estão a baixar.

 

É um país com um território muito maior que o nosso, mas com uma população ainda inferior à nossa.

 

Se eles conseguem, porque é que nós desconseguimos? 

publicado por Theosfera às 11:44

Muito criticado foi o Presidente da República pelo que disse no dia 9 de Março.

 

Muito criticado tem sido o Presidente da República pelo que não tem dito desde o dia 9 de Março.

 

Sinal dos tempos: as principais intervenções do Chefe de Estado têm surgido no Facebook.

 

Admitamos que não é fácil lidar com este tipo de reacção.

 

Mas fica no ar a ideia de que aquelas palavras não eram as mais adequadas para uma cerimónia de tomada de posse. E paira a sensação de que o actual silêncio também não é o mais ajustado à presente situação.

 

Falar daquela maneira não era para aquela data. Calar desta forma parece não ser para este tempo.

 

Este é o tempo de intervir. No recato das audiências, sem dúvida. Mas também nos púlpitos. O povo precisa de ser mobilizado, despertado, animado.

 

Coisa estranha esta: a população está tão cansada da verborreia de uns como do prolongado silêncio de outros.

 

Qual a medida justa?

publicado por Theosfera às 11:41

Por este dias só se fala de dívidas.

 

O paradoxo aparece.

 

Sendo o problema a dívida, o caminho passa por nos endividarmos ainda mais.

 

Além de novo empréstimo, temos os juros nada suaves.

 

Numa altura em que a execução orçamental parecia correr bem e em que o montante apurado pelos impostos estava a crescer, eis que tudo se desmorona.

 

E, como num castelo de cartas, nada aparenta resistir.

 

Até a Maternidade Alfredo da Costa está a pedir dinheir às pessoas. Também há hospitais onde já se exige caução para vistar os doentes.

 

Entretanto, uma dívida não devemos negligenciar: a de nos apoiarmos uns aos outros.

 

Há que reduzir as desigualdades e encurtar as assimetrias.

 

Enquanto o essencial não for asseguerado, ocioso será falar de desenvolvimento.

publicado por Theosfera às 11:34

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9


17



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro