O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 23 de Dezembro de 2010
1. É possível que, a esta hora, o vá encontrar, estimado leitor, em viagem, a caminho de casa ou de algum supermercado. Provavelmente, ter-se-á lembrado de que ainda faltava alguma compra de última hora.
 
A azáfama é grande e as despesas já são muitas. Mas, lá no fundo, sente que vale a pena todos os sacrifícios para ter a casa cheia, a mesa farta e a família reunida.
 
É bonito — muito bonito — ver os mais pequenos felizes e os mais idosos a brincar com eles.
 
E como é reconfortante ter um intervalo de serenidade no meio do bulício desenfreado em que se transformou a rotina da nossa vida!
 
Vai correr tudo bem, estou certo disso. A noite de Natal possui, de facto, um encantamento único, intraduzível em palavras.
 
 
2. Não tenha problema em assumir que o Natal é a festa de Jesus. É a festa do Seu nascimento, embora não saibamos, ao certo, a data em que Ele nasceu.
 
Às vezes, o Natal parece um aniversário sem aniversariante. Pensamos em todos e cuidamos de tudo. Parece que só nos esquecemos d’Ele. Logo d’Ele que é a razão última desta festa.
 
Até foi preciso lançar uma campanha de estandartes com o Menino Jesus para que nos lembremos do verdadeiro sentido do Natal.
 
Para muitos, com efeito, quando se fala de Natal, a primeira figura que vem à mente já não é o Menino, mas o Pai Natal.
 
Há quem leve o escrúpulo a tal ponto que, em vez de desejar bom Natal, se limita a escrever o genérico boas festas ou até a optar pelo estranhíssimo felizes festas de Inverno! Porquê?
 
 
3. Fixe, por isso, o seu olhar em Jesus. Não arrume o Pai Natal num canto, se o tiver em casa, mas faça um presépio.
 
Se achar bem, ponha lá a árvore de Natal. Ponha lá os presentes para os seus filhos, mas, já agora, acrescente também qualquer coisa para dar aos mais pobres.
 
Não deixe, porém, de colocar bem no centro o Menino, o Menino Jesus. E, antes de começar a consoada, convide toda a sua família para contemplar um pouco este quadro,o quadro de um Deus que Se faz Menino e de um Menino que se faz Deus.
 
Se lhe for possível, vá à Missa do Galo. Porventura, está a pensar ir no dia de Natal. E faz muito bem. Mas, se puder, vá também na noite anterior. Não se arrependerá.
 
É certo que está frio e sabe bem estar em casa. Mas faça um esforço. Alargue a sua família à família dos outros.
 
O frio desta noite é um frio saboroso, é um frio que aquece. Quando faz anos alguém que nós estimamos, passamos por sua casa. Pois a igreja é a casa de Jesus.
 
Eu sei que está bastante desencantado com o que se passa na Igreja. Mas o estimado leitor irá por causa de Jesus. Que, aliás, também não estará totalmente contente com o que na Igreja acontece. E quem sabe se Ele, Jesus, não estará à sua espera para a mudança que Ele deseja?
 
 
4. Penso sobretudo em si que está afectado pela pobreza. Pois olhe que Jesus também nasceu pobre.
 
Penso particularmente em si que se sente diminuído por levar uma vida simples. Lembre-se que Jesus foi sempre simples.
 
Penso especialmente em si que se vê cercado de injustiças. Não esqueça que Jesus também foi vítima da injustiça.
 
Ele é a pessoa mais identificada consigo e mais próxima de si. Ele pensa em si, mesmo quando não tem tempo de pensar n’Ele.
 
O meu coração vai nomeadamente ao encontro de si que foi posto na rua, no desemprego. Olhe que é na rua que Jesus Se encontra.
 
Ele tornou-Se um de nós. Ele veio para nos reconciliar, para nos aproximar.
 
O sinal de que estamos com Ele é a bondade, a tolerância, a opção preferencial pelos pobres.
 
Que a paz de Jesus esteja consigo, estimado leitor. Seja feliz neste Natal. Seja feliz sempre.
 
O nascimento é de Jesus. O Natal é para si. Por isso, alegre-se. Comova-se. Chore. Sorria. Cumprimente. Abrace. E tente fazer do Natal um dia com 365 dias.
 
Difícil? Sem dúvida. Mas não impossível. Há muitos escolhos. Mas tem um aliado de peso: o próprio Jesus.
 
Ele veio também para si. Ele está dentro de si. E tenha a certeza de que Ele conta consigo para mudar o mundo!
publicado por Theosfera às 15:18

Corre muito vento. Ameaça muita chuva. Insinua-se alguma neve.

 

A natureza parece querer dizer: pára; recolhe-te.

 

Mas a vida não se compadece com muitos destes apelos.

 

E lá nos fazemos às estradas. Nestes dias, muitos estão retidos em aeroportos e estações.

 

Viver é ultrapassar-se. É uma permanente lide com as dificuldades.

 

É preciso não descrer. É fundamental não desesperar.

 

A luz continua a espreitar. O seu brilho não desiste de descer à nossa alma.

publicado por Theosfera às 15:16

... e foi por Tua causa, meu Jesus Menino.

 

Aliás, muitos dos Teus primeiros seguidores foram mortos sob a acusação de ateísmo.

 

Recusavam-se a venerar os deuses do império.

 

Só adoravam o Pai. Só adoravam o Espírito Santo. Só Te adoravam a Ti.

 

Havia quem enciumasse. Por isso, derramaram o sangue.

 

Acontece que, volvidos estes séculos todos, há quem construa imagens de Deus que nada têm que ver com aquilo que Tu mesmo nos mostraste de Deus.

 

Como bem notou González Faus, Tu, Senhor, falaste de Deus não tanto falando sobre Ele, mas tornando-O transparente.

 

O Deus que Tu, Jesus Menino, nos mostraste só tem um nome: Pai. E possui apenas um rosto: misericórdia.

 

Tanta violência em nome de Deus. Tanta arrogância em nome de Deus. Tanta apropriação de Deus.

 

Em relação a tantos discursos teístas, até Deus é o primeiro ateu.

 

Tentam impor-nos um Deus que não sorri, um Deus que não ama, um Deus que não chora, um Deus que não sofre, um Deus que não Se encanta, um Deus que castiga, um Deus que condena.

 

Tentam levar-nos por caminhos ínvios de condenações no tempo e na eternidade.

 

E não olham para o presépio. Ou, se olham, parecem não (querer) ver.

 

O Deus que Tu, Jesus, nos revelas é a paz, a simplicidade, a autenticidade.

 

Apetece, por vezes, repetir o pedido de Eckhart: «Meu Deus, livra-nos de "Deus"».

 

O Natal é oportunidade de purificar imagens de Deus que persistem em determinados discursos e não poucas atitudes.

 

O ateísmo não é, em primeira instância, negação de Deus. É negação de um certo ateísmo.

 

A sociedade não anda longe de Ti. Porque Tu, Jesus, não estás longe da sociedade.

 

Vejo este tempo excruciante como uma possibilidade que nos é oferecida.

 

Ensina-nos, Senhor, a optar por um certo ateísmo. Por um ateísmo que nos afaste de falsas imagens de Deus e que nos aproxime de Deus, do Deus que Tu nos mostras na simplicidade de Belém.

 

O Deus das pompas e das cátedras não é o Teu Deus. Como poderia ser o meu?

 

O sinal que os Teus enviados indicaram aos pastores é eloquente. É a simplicidadade de uma manjedoura.

 

Limpa-nos, Jesus, da presunção de sabermos muito sobre Ti. Só saberemos o suficiente quando nos voltarmos para a humildade em que Tu Te deixas envolver sempre que nos vens visitar.

publicado por Theosfera às 14:31

Andamos todos (e com razão) preocupados com o progressivo esvaziamento do Natal.

 

Para muitos, o Natal é tudo menos o que está destinado a ser: festa do nascimento de Jesus, uma espécie de aniversário sem aniversariante.

 

Para superar este esvaziamento, não basta, porém, insistir nos conteúdos; é preciso também investir nas atitudes.

 

O Natal é Jesus e, nessa medida, é bondade, é amor, é perdão, é harmonia, é aceitação, é paz.

 

Confesso que, quando noto a maldade, o ressentimento ou o rancor apoderarem-se de uma ou outra pessoa, nem sequer consigo advertir. Retiro-me, desapareço. Creio sempre que isso é um momento apenas.

 

Deus semeou tanto bem no Homem. Como é que nós somos capazes de alojar o mal? Falamos melhor de Cristo com um coração bom do que com discursos sumptuosos e adornados. Deus é amor. Não deixes, Irmão, que o ódio te possua. Sejamos Natal.

publicado por Theosfera às 14:30

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9


22



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro