O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 08 de Dezembro de 2010

O Natal não tem começo. Ele é o começo. Ou, melhor, o contínuo recomeço.

 

É por isso que, em cada dia, há sempre motivo para respirar o Natal.

 

O frio lembra o Natal. Mas o calor também não o faz esquecer, porque o Natal é um mistério que nos aquece por dentro.

 

O Natal é para todos, mas são os mais pequenos que melhor o interpretam.

 

São eles que melhor transportam e recriam o encantamento do mistério do Natal.

 

Ao ver a destreza e a comoção com que os mais pequenos (en)cantam o Natal, dou comigo a pensar. Como seria bom que crescêssemos na idade sem, contudo, perder a infância.

 

Afinal, foi como criança que Deus quis vir ao nosso mundo.

 

Enquanto os mais pequenos nos deslumbrarem, não deixaremos de acreditar que a paz é possível e que o mundo novo não será uma pura miragem.

 

Esta noite, houve sorrisos belos e encantos mil no palco e na plateia, contagiada e envolvida.

 

A cidade acorreu à sala de espectáculos, transformada numa imensa ceia de Natal.

 

Parabéns aos alunos e professores do CIC por nos servirem o Natal de um modo tão cativante.

 

A noite fria conseguiu aquecer. Até o temporal abonançou.

 

O vento amainou por instantes. E só choveu paz. 

publicado por Theosfera às 23:00

Num sonho todo feito de incerteza,
De nocturna e indizível ansiedade
É que eu vi o teu olhar de piedade
E (mais que piedade) de tristeza...

Não era o vulgar brilho da beleza,
Nem o ardor banal da mocidade...
Era outra luz, era outra suavidade,
Que até nem sei se as há na Natureza...

Um místico sofrer... uma ventura
Feita só de perdão, só da ternura
E da paz da nossa hora derradeira...

Ó visão, visão triste e piedosa!
Fita-me assim calada, assim chorosa...
E deixa-me sonhar a vida inteira!

 Assim poetou (magnificamente) Antero de Quental

publicado por Theosfera às 00:02

Para se namorar do que criou,
Te fez Deus, sacra Fénix, Virgem pura.
Vede que tal seria esta feitura
Que para si o seu Feitor guardou!
 
No seu alto conceito Te formou
Primeiro que a primeira criatura,
Para que única fosse a compostura
Que de tão longo tempo se estudou.
 
Não sei se digo em tudo quanto baste
Para exprimir as raras qualidades
Que quis criar em Ti quem Tu criaste.
 
És Filha, és Mãe e Esposa: e se alcançaste,
Uma só, três tão altas qualidades,
Foi porque a Três de Um só tanto agradaste.
publicado por Theosfera às 00:01

Este dia 8 de Dezembro é um dia cheio de beleza, carregado de comoção. É o dia em que a Mãe começou a ser concebida.

 

A História da Salvação começa a aproximar-se do seu auge. Preservada de toda a culpa, Maria adere incondicionalmente à vontade de Deus. A Sua grandeza está na Sua humildade.

 

Durante anos, este foi o Dia da Mãe. Que todas as Mães se sintam abençoadas pela Mãe!

publicado por Theosfera às 00:00

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9


22



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro