O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 07 de Agosto de 2010

Não tenhamos medo de desagradar.

 

Medo só devemos ter de uma coisa: de mentir.

publicado por Theosfera às 16:20

Deixemos o outro ser outro.

 

Deixemos o outro ser ele.

 

Elementar.

 

Mas tão difícil.

publicado por Theosfera às 16:18

Felizes os que não fecham as portas da sua casa e abrem as portas do seus coração.

 

Felizes os que estão presentes (sobretudo) nas horas difíceis.

 

Felizes os que não intrigam nem rumorejam.

 

Felizes os que tomam a iniciativa.

 

Felizes os que não transigem com a mentira.

 

Felizes (até) os que são capazes de assumir que não são felizes.

 

Felizes os que são verdadeiros, sinceros, honestos, compassivos, bondosos.

publicado por Theosfera às 13:55

Continuamos apressados, agitados e prisioneiros do instante.

 

Houve um tempo em que o descanso era visto em função do trabalho. Servia para recarregar forças.

 

Agora pretende-se olhar para o trabalho em função do descanso. Suspiramos sempre pelo repouso. Mas, quando este chega, parece que não conseguimos optimizá-lo.

 

A única paz é a paz de Deus, sob a égide da esperança.

publicado por Theosfera às 11:39

Ai dos que crucificam, dos que magoam, ferem e perseguem.

 

Ai dos que nunca choram.

 

Ai dos que se banqueteiam, indiferentes à dor que campeia no mundo.

 

Ai dos que mofam do pranto alheio.

 

Ai dos que pontapeiam as vítimas.

 

Ai dos que inocentam os culpados e culpam os inocentes.

 

Ai dos que não respeitam o ponto de vista dos outros nem a liberdade de cada um.

 

Ai dos que se julgam donos e senhores da vontade dos outros.

 

Ai dos que conspiram a propósito de tudo e de todos.

 

Ai dos que não se solidarizam com o sofrimento.

 

Ai dos que emitem juízos.

 

Ai dos que se põem no lugar de Deus.

 

Deles poderão ser todos os reinos. Mas não o reino dos céus.

publicado por Theosfera às 11:34

Um dos nossos males, já advertia sabiamente o Padre Manuel Antunes, é que o negativo prevalece sobre o positivo.

 

Às vezes, desconfiamos mais do bem do que do mal. Achamos mais normal duas pessoas darem-se mal (ou não se darem) do que darem-se bem.

 

Nunca mais esqueço o que me foi reportado, há muitos anos, por alguém. Um elogio que era feito a determinada figura pública consistia no seguinte: «Aquele é que é um homem às direitas; não cumprimenta ninguém; não olha para ninguém». 

 

Caso para dizer: assim nos deformamos, assim nos desgastamos.

 

Temos de mudar o olhar, a sensibilidade. O bem tem de ser acolhido, promovido, incentivado.

 

O mal que existe no mundo não resulta da amizade entre as pessoas, mas da inimizade entre os homens.

 

É preciso purificar os sentimentos. Alegremo-nos com o bem. Não maculemos o que há de bom.

publicado por Theosfera às 11:29

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15

22
24
27
28

30


Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro