O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 06 de Agosto de 2010

Na comunicação, a palavra mais importante pode ser a que não se diz. Porque não devemos dizê-la. Porque não podemos dizê-la. Porque não conseguimos dizê-la.

 

É fundamental que se saiba que a temos. Que a guardamos. Que a vivemos. E que a partilhamos em forma de silêncio ou, então, de leve sussurro ou de suave vislumbre.

 

Hoje, há muita tempestade de palavras ditas. É sempre bom nunca esquecer que somos donos do que calamos e escravos do que dizemos.

 

Há silêncios mais eloquentes que mil palavras e há palavras mais opacas que mil silêncios.

 

Jesus soube calar quando foi preciso e soube falar quando foi necessário.

 

Agora sem dúvida que, hoje em dia, temos maior défice de silêncio do que de palavras.

Sigamos o silêncio. Deus falará por nós. Em nós.

publicado por Theosfera às 11:11

Sabemos que o Santo Padre não tem nada a ver com isso e que há despesas a que urge fazer frente.

 

Mas estipular um preço para participar nos actos com Bento XVI, na sua próxima visita ao Reino Unido, não parece uma decisão muito feliz.

 

O Santo Padre já visitou países mais pobres e, que se saiba, não houve necessidade de recorrer a tais expedientes.

 

Acresce que, nestas alturas, a sociedade civil e, acima de tudo, o povo de Deus costumam colaborar com excessos de generosidade.

 

Certamente que o ofertório será abundante.

 

Que cada um dê o que quer é uma coisa. Que se seja obrigado a contribuir é outra coisa, bem diferente.

 

Espero que ainda se vá a tempo de recuar nesta medida.

 

Sobretudo na celebração eucarística, as portas devem estar abertas.

 

Cristo deu a vida por todos. Sem nada exigir em troca.

 

Este é o princípio basilar.

publicado por Theosfera às 11:05

Dizem que a humanidade está a ganhar a batalha contra o cancro.

 

Era bom que tal fosse verdade.

 

O problema é que, todos os dias, somos confrontados com dados que refreiam o optimismo.

 

Nos últimos dias, várias figuras públicas sucumbiram à doença. Ainda por cima, com pouca idade: António Feio e Mário Bettencourt Resendes ainda não tinham 60 anos.

 

O pai de Nuno Gomes também não teria muito mais. E Orlando Worm estava a começar os 70.

 

Sucede que há muito sofrimento e torrentes de dor em cada um destes casos.

 

Creio que será o maior passo da humanidade: vencer o cancro!

publicado por Theosfera às 11:01

Os ricos que paguem a crise, sempre ouvimos dizer.

 

Nos Estados Unidos, são os próprios ricos que o querem fazer.

 

Há uma proposta, da autoria de alguns multimilionários, para que doem metade da sua fortuna.

 

Aqui se regista com agrado.

publicado por Theosfera às 10:57

Os apoios sociais precisam de moralidade. Certo.

 

Acontece que, na prática, os mais pobres acabam por ficar (ainda) mais pobres.

 

O Estado conta poupar mais de trezentos milhões de euros.

 

Só que não ocorreu a ninguém poupar tal montante na aquisição dos submarinos.

 

E se a violência dispara (como, aliás, já está a disparar), as despesas acabam por aumentar também.

 

Um pouco de serenidade e de justiça precisa-se, pois!

publicado por Theosfera às 10:54

Mais impostos para a semana. Sim, imposto é tudo o que é...imposto!

 

Desta vez, é o aumento do preço do pão.

 

O preço do trigo está a aumentar. Na Rússia, o principal exportador, há uma crise enorme com os incêndios. E, como sempre, o cidadão vai sofrer.

 

O pão é realidade e sinal. Ele simboliza a vida.

 

Aumenta o pão, aumenta o custo de vida.

 

Há nuvens no horizonte.

publicado por Theosfera às 10:51

Despe-te, Irmão:

de alguns sentimentos e de todos os ressentimentos,

do orgulho e da auto-suficiência,

da preguiça e da indolência,

da vaidade e da ostentação,

do relativismo e do minimalismo,

da superficialidade e da artificialidade,

da incontinência e da intriga,

da mentira e da falsidade,

do egoísmo e da presunção,

da auto-idolatria e do autocomprazimento,

do hedonismo e da indiferença.

 

Despe-te de tudo isto

e reveste-te:

da mansidão e da humildade,

da paz e da serenidade,

da concórdia e do amor,

da esperança e da alegria,

da disponibilidade e da fidelidade,

da obediência e da santidade.

Reveste-te de Cristo!

Faz como Ele.

Não dês mais. Dá tudo.

Não te dês mais. Dá-te todo.

E quando não puderes, pode Deus!

publicado por Theosfera às 10:49

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15

22
24
27
28

30


Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro