O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 17 de Junho de 2010

Começou por perder os trabalhadores, depois perdeu os intelectuais, a seguir os jovens. Irá perder Deus?

 

Se a pergunta pode parecer disparatada, há respostas que se afiguram arrasadoras.

 

A Igreja nunca perderá Deus, mas algumas atitudes (discursos, posições, acções e omissões, missões e sobretudo demissões) indiciam um certo afastamento da prioridade de Deus.

 

E, o que é mais grave, as pessoas apercebem-se!

 

Não descarto que esta seja uma leitura simplificada e algo tremendista da trajectória da Igreja nos últimos decénios, mas, como sabemos, há quem não se iniba de a fazer.

 

Como é óbvio e não obstante todas as dificuldades, há muitos trabalhadores na Igreja, bastantes intelectuais na Igreja e abundantes jovens na Igreja. Não participam sempre. Mas aparecem com frequência.

 

E, como não podia deixar de ser, Deus acompanha a Igreja.

 

Subsistem, porém, algumas interrogações. Porque é que as pessoas não aparecem mais? Porque é que os baptizados não participam sempre? Porque é que as seitas prosperam?

 

Não será porque deixamos de mostrar Deus, de falar de Deus, de testemunhar Deus, de apontar para Deus?

 

Não será que, muitas vezes, passamos o tempo volvidos sobre o acessório, sobre nós mesmos, sobre a instituição? Sucede que a própria instituição só faz sentido se aproximar (e não afastar) de Deus.

 

Já Ruiz de la Peña advertia que a Igreja deste milénio tinha de ser «orante e confessante», totalmente mergulhada no mistério de Deus. De resto, quando nos afastamos de Deus também não nos aproximamos do Homem.

 

Uma Igreja que não fale de Deus, que não incentive a falar com Deus, que não fale a partir de Deus será Igreja? Mas não estaremos, amiúde, a incorrer nesse perigo e a ceder a essa tentação?

publicado por Theosfera às 21:13

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13

26

27
28
29


Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro