O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2010

Há um dado que não tem sido muito referido. Mas é consolador (e muito comovente) saber que Timor-Leste, um país ainda a nascer e que acumula grandes dificuldades, deu um substancial contributo para ajudar a recuperação da Madeira.

 

É sempre assim: os pobres são os maiores ricos. A sua generosidade não tem limites. Dão o o que têm e o que não têm. Dão não o que sobeja, mas o que lhes falta.

 

Por isso é que são pobres? Por isso é que são ricos!

publicado por Theosfera às 13:26

Faz hoje 13 anos que partiu para o Pai o meu Confessor, Conselheiro e querido Amigo senhor Cón. Acácio Vieira Branco.

 

 

Era um dos maiores especímenes de uma estirpe de sacerdotes com uma forte espiritualidade e que irradiava uma grande bondade.

 

 

Muitas saudades. Enorme gratidão.

publicado por Theosfera às 10:04

Em 1953, Henri de Lubac escreveu a sua famosa Méditation sur l'Église. A determinada altura diz: «Esta Esposa mística, esta Igreja de coração escondido, é, ao mesmo tempo, um ser bem visível entre os demais seres do mundo. Pode-se menosprezá-la, mas não se pode ignorá-la.

Como todas as instituições humanas, também ela tem a sua fachada exterior. A nossa Igreja não é uma coisa nebulosa e imaterial. Não é uma entidade vaporosa. Embora seja um mistério que se vive na fé, não deixa de ser uma realidade que se vive neste mundo».

Às vezes, pomo-nos a pensar nas fragilidades da Igreja e inferimos que mais facilmente nos aproximamos de Cristo e de Deus fora dela.

Isso não é argumento, porém. Já dizia S. Cipriano que «ninguém pode ter Deus por Pai se não tiver a Igreja por Mãe».

E, de uma forma brilhante, Henri de Lubac previne-nos: «Não nos jactemos de que, situando-nos fora da Igreja, podemos permanecer na "sociedade de Cristo". Pelo contrário, devemos dizer a nós mesmos com Sto. Agostinho: "Para viver do Espírito de Cristo, é preciso viver no Seu Corpo"».

Pode acontecer que nos desiludam muitas coisas que fazem parte da contextura humana da Igreja. Se tal acontecer, saibamos que o que mais vale é a palavra e o silêncio amoroso. Estejamos seguros de que nunca a Igreja nos dá melhor Jesus Cristo como nestas ocasiões em que nos brinda com a oportunidade de sermos configurados à Sua Paixão.

Novamente Henri de Lubac: «A Igreja tem a única missão de tornar presente Jesus Cristo nos homens. Ela deve anunciá-Lo, mostrá-Lo e dá-Lo a todos. Tudo o resto não é mais que acrescento. Ela é, e será sempre, Igreja de Jesus Cristo. Mas é preciso que o que é em si mesma o seja também nos seus membros. O que ela é para nós, é fundamental que o seja também através de nós».

 

publicado por Theosfera às 09:56

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9

15




Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro