O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 08 de Dezembro de 2009

 

À primeira vista, o mal parece levar a melhor.
Um rápido olhar pelo mundo mostrar-nos-á que o triunfo lhe pertence. De uma forma brutal. Cruel. Avassaladora. A impressão dominante é que vivemos submersos num irremediável «mistério de iniquidade».
Acontece que um é o discurso da realidade e outro, bem diferente, é o discurso da fé.
É interessante verificar que a linguagem da fé nem sequer nos fala de uma simetria entre o bem e o mal, entre a morte e a vida, entre o pecado e a graça. Não fala de uma simetria, mas de uma (reconfortante) assimetria.
Reparemos que Paulo não diz «onde abundou o pecado, abundou a graça», mas «onde abundou o pecado, superabundou a graça».
Eis pois uma certeza tranquilizante e sumamente mobilizadora: o mal tem uma palavra forte, uma palavra dura. Mas não tem a palavra última. Quando muito, poderá ter a palavra penúltima. A palavra última pertence ao bem. À graça. Ao amor. À vida.
 
publicado por Theosfera às 06:22

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro