O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Domingo, 14 de Fevereiro de 2010

Tem dois anos. Sorri de uma forma contínua. Não soletra. Fala. Com fluência. Com encanto. Já com todas as sílabas. Vê-se-lhe a alma a transbordar pelos olhos.

 

A certa altura pensei: o que este menino não irá sentir quando vir que o mundo é o contrário de tudo isto? Como é possível desencantar o encanto de uma criança?

 

Mas, logo depois, pensei ao contrário: pode ser que os mais crescidos, ao repararem no encanto puro de uma criança, parem para pensar e resolvam mudar.

 

Habitualmente, são os mais pequenos que aprendem com os adultos. Não será hora de os adultos aprenderem com os mais pequenos?

 

O poeta bem nos avisa: o melhor do mundo são elas, as crianças.

 

Enquanto uma criança sorrir, a esperança não morrerá! Um mundo melhor é possível? Quando olho os olhos de uma criança, acredito que sim!

publicado por Theosfera às 15:38

De Maria da Paz a 14 de Fevereiro de 2010 às 17:14
Rev.mo Senhor Doutor:
«Como é possível desencantar o encanto de uma criança?»

Infelizmente, é possível, é a realidade, acontece todos os dias...

Os homens já mostraram que não são "homens de boa vontade".
Precisamos de um grande milagre de Deus, para defender as crianças em perigo.
E são tantas, infelizmente.
Até no seio dafamília. E não me refiro aos casos mais gritantes que aparecem (ou não aparecem) nas notícias dos jornais.

A falta de formação e de uma esmerada educação truncam, em cada criança, o projecto que Deus tinha para ela. Em vez de «crescerem em sabedoria e em graça», à semelhnça do Deus feito Menino, muitas crianças crescem, com o beneplácito da família, à mercê dos seus caprichos e do seu egocentrismo.
Como nos diz o escritor-aviador francês, Antoine de Saint-Exupéry, em "Terre des hommes":

« Sentei-me [no comboio] diante de um casal. Entre o o homem e a mulher, a criança acomodou-se o melhor que pôde e dormia. Mas, adormecido, voltou-se e o seu rosto apareceu-me sob a luz de presença. Ah! Que rosto adorável! Deste casal, tinha nascido uma espécie de fruto dourado. Deste casal, vestido de pesados andrajos, com o rosto vincado pela fealdade e pela aspereza da vida, tinha nascido este sucesso encantador de beleza e de graça. Inclinei-me sobre essa fronte, perfeita na sua beleza e inocência, reparei na doce e graciosa expressão dos lábios, e disse para mim mesmo: aqui está um rosto de compositor, aqui está Mozart, em criança, aqui está uma bela promessa de vida. Os principezinhos dos contos de fadas e das lendas não eram, em nada, diferentes dele: protegido, acompanhado, bem formado, o que poderia ele vir a ser! Quando, por mutação, nasce, num jardim, uma nova rosa, todos os jardineiros se emocionam. Rodeia-se a rosa de todos os cuidados, cultiva-se com esmero, favorece-se o seu pleno desabrochar. Mas não há, desgraçadamente, jardineiros para os homens. Mozart-
-criança será marcado, como os outros, pela máquina embrutecedora de uma vida sem elevação. Mozart terá as suas maiores alegrias feitas de música de inferior qualidade, no odor pestilento dos cafés-concertos. Mozart está condenado.
Voltei para a minha carruagem [de comboio]. E pensava: (...) é a espécie humana e não apenas cada pessoa que está aqui ferida, lesada, mutilada. (...) O que me atormenta(...) é um pouco, em cada um destes seres humanos, Mozart assassinado

Só o Espírito, se Ele sopra sobre o barro, pode criar o Homem.»
(Tradução um pouco livre).

É preciso proteger a Família. É preciso e é urgente que a Escola retome o seu papel de educar e de fazer desabrochar, em cada criança, adolescente ou jovem, a apoteose das suas potencialidades positivas.
E é preciso sublimar, transformando-as em capacidades úteis e sãs, as potencialidades negativas, inerentes a todo o ser humano.
Espero um milagre de Deus!
Afectuosamente,
Maria da Paz

De Theosfera a 14 de Fevereiro de 2010 às 18:45
Ex.ma sra. Dra. muito obrigado pelo contributo e por este magnífico texto. Uma santa e feliz semana no Senhor Jesus!

De Maria da Paz a 14 de Fevereiro de 2010 às 21:23
Rev.mo Senhor Doutor:
Sou eu quem deve agradecer a generosa partilha do seu muito saber e da sua superior inteligência. Theosfera " é um farol. Ilumina-nos e e provoca-nos intelectualmente. Mas não só: interpela a consciência, interpela-nos como Católicos, como pessoas de bem que todos os dias temos de tentar ser.
Muito bem-haja por este púlpito com a qualidade de uma grande cátedra que nos leva a sermos mais reflexivos, mais humanos, mais lúcidos, e que nos transporta até Deus e até aos Irmãos.
Afectuosamente,
Maria da Paz

De António a 15 de Fevereiro de 2010 às 23:38
Esse menino, como todos os meninos e meninas com as almas a transbordar dos olhos,vão crescer e desencantar-se, como todos os meninos e meninas que concebem um mundo de adultos mais misericordioso e menos inclemente.Mas muitos desses meninos e meninos não se vão submeter à tirania dos cruéis e desumanos.Daqueles que estão sempre prontos a condenar aos seus infernos imaginários todos quantos desejem obedecer e evocar o Deus que lhes fala ao coração...


mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9

15




Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro