O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Segunda-feira, 08 de Fevereiro de 2010

O mundo tornou-se uma aldeia, uma aldeia global.

 

Estamos todos mais perto. Mas sentir-nos-emos mais próximos?

 

Encontramo-nos num tempo de distâncias. As pessoas sentem-se carentes de tudo, sobretudo de afecto.

 

A psicologia fala-nos, por exemplo, da importância do abraço. Quando é sincero e sentido, ele significa muito.

 

Recordo o que me disse um médico. Pensando que um jovem ia morrer numa determinada noite, deu indicações ao enfermeiro para estar atento.

 

Foi com espanto que, na manhã seguinte, verificou que ainda estava vivo. Ao ver passar o clínico, fez-lhe sinal.

 

Agarrou-se ao pescoço do médico, abraçou-o muito e, logo a seguir, morreu. Estava à espera daquele abraço.

 

O Evangelho deste dia diz que Jesus curava deixando-se tocar pelas pessoas. Ele foi sempre muito afectuoso para com as crianças e as pessoas simples.

 

No Antigo Testamento, fala-se das entranhas comovidas (rahamim) de Deus.

 

Deus é apresentado como um Pai que nos ama com um amor de Mãe.

 

Se nós somos a imagem e a semelhança de Deus, como é que podemos agir de modo diferente?

 

publicado por Theosfera às 21:18

De Maria da Paz a 8 de Fevereiro de 2010 às 22:43
Há pessoas doces, calorosas, dotadas de um especial dom para acolher os outros. E há pessoas frias, distantes, secas. com o dom de magoar (até sem disso se darem conta - tal a insensibilidade!).
Todos sentimos que são as primeiras que se identificam com Jesus.
Maria da Paz

De pessoa a 8 de Fevereiro de 2010 às 23:46
olá. estou a precisar da sua ajuda.
posso chegar até si por mail?
obrigado

De António a 8 de Fevereiro de 2010 às 23:54
Nós somos feitos à Imagem e Semelhança de Deus, é verdade. Mas depois, achamos que isso era pouco para nós. E lembramo-nos de antropomorfizar Deus à medida da nossa humana mesquinhez. Fizemos-Lhe um altar, onde não O colocamos. Mas onde erguemos os referenciais da nossa própria mediocridade. Depois, dissemos que Deus estava lá colocado, num espaço onde O construímos simultâneamente Amor e Justiceiro Foi aí que criamos,de um lado, o Céu, para onde iriam os bons. E,do outro, o Inferno,para onde iriam os maus. Durante 2010 anos andamos a apregoar que um Deus bondoso seria capaz de permitir que os seus maus filhos fossem desterrados para um lugar pavoroso de chamas ardentes. E não achamos que isso fosse incompatível com a Bondade de Deus.De repente,apanhamos com a acidez contundente de Saramago e,em vez de reconhecermos humildemente a sua razão, permanecemos a teimar que o errado era ele e que toda a Bíblia é sagrada. Só nos esquecemos de olhar para o espelho e repararmos na nossa vesga loucura.E nem sequer reparamos que,ali ao perto,num local de escombros, o verdadeiro Deus estava soterrado pelo acumular das toneladas de pedras e cascalho da nossa ignorância...

De Sónia a 9 de Fevereiro de 2010 às 23:09
Quem visita o Theosfera também experimenta o toque de Jesus. A cura reside no amar o próximo.

Sónia

De Theosfera a 9 de Fevereiro de 2010 às 23:28
Muito obrigado, Sónia. Deus a abençoe e a toda a sua família. Abraço amigo.

De Anónimo a 12 de Fevereiro de 2010 às 18:25
O verdadeiro cristão e católico, revela-se na capacidade que demonstra ter para compreender, ajudar e perdoar o seu irmão. As ofensas, maledicências, injúrias e injustiças de que for alvo, deve vivê-las e senti-las como um bálsamo mitigador dos seus erros e pecados. Se acreditamos em Deus, sabemos que Ele nos ama incomensuravelmente e nunca nos deixa sós. Essa certeza e convicção deve ser suficiente para que vivamos em paz e harmonia com os outros, connosco e, consequentemente, com Ele. A vida é tanto mais bela e ridente quanto mais soubermos perdoar o outro. Foi este o ensinamento que Deus me transmitiu no sofrimento que, no decurso da minha caminhada, foi sentindo e vivenciando. Saibamos agradecer a Deus todas as adversidades, porque nos ensinam a aproximar mais Dele e a crescer espiritualmente. Que as ofensas de que sejamos ou venhamos a ser objecto nunca sejam um óbice à nossa caminhada em direcção a Deus.


mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9

15




Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro