O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Domingo, 10 de Março de 2013

A Bíblia pode ser vista como uma longa palavra com 73 sílabas.

 

46 são soletradas no Antigo Testamento e 27 são entoadas no Novo Testamento.

 

Em relação à imagem de Deus, muitas dessas sílabas são completamente átonas. Quase O desfiguram. Basta pensar no Terror de Isaac, assim Deus é apresentado numa passagem genesíaca.

 

Entre desfiguramentos e aproximações, vamos gaguejando, sílaba a sílaba, até chegar a Lucas.

 

Aqui encontramos a sílaba tónica.

 

Deus não castiga. Deus não condena. Deus abraça. Deus festeja.

 

Deus não é um polícia a escrutinar os nossos erros. Deus é o Pai que Se alegra com o nosso bem.

 

Deus é misericórdia.

 

A maior festa não é quando se dá o encontro. É quando ocorre o reencontro após o desencontro.

 

Porque é tão difícil, então, pronunciar devidamente a sílaba tónica?

 

Porque é que, ainda hoje, continua a prevalecer a linguagem do castigo sobre a cultura da bondade, da compaixão e do amor?

publicado por Theosfera às 06:12

De Anónimo a 10 de Março de 2013 às 11:59
Magnífico! Estou em total concordância com o Senhor Doutor, e felicito-o pela sua lucidez de pensamento ; clarividência na análise da Palavra e das coisas de Deus; esclarecedor e transparente na forma como nos transmite a Doutrina de Jesus . A igreja necessita, cada vez mais, de arautos com o perfil do Senhor Doutor.Os homens julgam Deus à sua imagem e semelhança, como um justiceiro, castigador, desumano, mas Deus é o Supremo Bem; a Suprema Misericórdia; a Suprema Justiça; o Supremo Amor. Ele mandou o Seu Filho ao mundo para nos salvar a todos, sem excepção. Deus pertence a todos e não é propriedade de ninguém. Ele, melhor do que ninguém, conhece o íntimo dos seus filhos e sabe perdoar, fazendo dos pecadores pessoas novas sem evidenciar, continuamente, os seus erros de que já se penitenciaram ! Eis a diferença!

De César a 11 de Março de 2013 às 00:22
Deus é JUSTO. E como é justo tem de praticar a Justiça. E a Justiça divina premeia e castiga. Amor e Justiça interpenetram-se; são inerentes.
Se Deus é Amor, é também Justiça. Um não pode existir sem a outra.
É evidente que a Justiça divina não se rege por razões humanas. Deus é o Absoluto, e as medidas dos homens não são as suas.
Mas a Justiça divina não pode passar ao lado do mérito e do demérito. Seria a negação da Justiça.
Amar significa ser Justo.

De Anónimo a 11 de Março de 2013 às 10:54
Seria a negação da justiça! Mas de qual justiça? Da humana, que nós conhecemos e aplicamos. Lá está, uma justiça à medida do ser humano, e não à medida de Deus. Ninguém pode avaliar o conceito da Justiça Divina alicerçado no conceito de justiça humana. Um e outro não são sobreponíveis e análogos. Aí reside o nosso erro. Este é o meu modesto entendimento.

De Theosfera a 11 de Março de 2013 às 11:30
Não queria interferir no «diálogo», que acompanho e agradeço. Apenas recordava que, já na sua segunda encíclica («Dives in misericordia»), João Paulo II assinalava que da justiça de Deus faz parte a misericórdia. Em Deus, a misericórdia e a justiça não antagonizam; interagem. A justiça é misericordiosa e a misericórdia é justa. Muito obrigado!

De Eu Pecador Me Confesso a 11 de Março de 2013 às 14:54
O grande problema teológico radica, a meu ver, nas 46 "sílabas" do Antigo Testamento. Elas permitem, de facto, concluir que Deus seria também Justiceiro e sustentar o comentário de César, segundo o ponto de vista, certamente discutível, de que toda a Bíblia é sagrada. Mas será o Justicialismo veterotestamentário compatível com a Bondade e a Misericórdia de Deus ? E será divino? O Islão também se baseia na mesma lógica exegética de César e lapidar mulheres por adultério faz parte da suposta vontade de Deus, simultâneamente Justiceiro e Misericordioso.O Islão não renega similares princípios fundacionais do Antigo Testamento, que também proclama a ira divina,mortífera, contra os adúlteros e os homossexuais. E nós, cristãos, ficamos onde? No ponto de vista de César ? Ou a Deus o que é intrinsecamente de Deus? Para césares, já bastam aqueles que martirizaram os cristãos.


mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro