O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 05 de Fevereiro de 2013

É belo dar.

É belo dar coisas. É mais belo dar a vida. E é sublimemente belo dar tudo sem fazer alarde.

Significa que até se dá a própria possibilidade de tirar algum proveito.

É que a teoria de que «não há almoços grátis» assegura que nunca se dá inteiramente nada. Mesmo quando se dá, algo se pretende em troca. Se não for dinheiro, poderá ser fama ou, pelo menos, reconhecimento.

Tal reconhecimento até será justo. Mas não poderá ser imposto. Terá de ser espontâneo.

Os meus olhos tropeçaram com o nome de Wislawa Szymborska, poeta polaca distinguida com o Nobel e que faleceu há um ano.

Veio-se, agora, a saber que o dinheiro do prémio foi doado para ajudar escritores em dificuldades.

Mas não se ficou por aqui. Pôs como condição que não se soubesse que era ela que doava o dinheiro.

Duplamente meritória esta atitude: abdicou do dinheiro e abdicou da fama.

Deu (deu-se) a duplicar. É raro.

Mas, por sinal, lembro alguém, igualmente já falecido, que quando me entregava algum contributo, não só não pedia que nada dissesse como exigia que ninguém o soubesse.

Uma senhora e um senhor que souberam fazer a diferença!

publicado por Theosfera às 10:12

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro