O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 06 de Fevereiro de 2013
Faz hoje 405 anos que nasceu o Padre António Vieira.


Vieira é muito apreciado pela forma. Mas merece ser reapreciado sobretudo pelo conteúdo, pela profecia, pela coragem, pela fidelidade.


Leiamos Vieira. Hoje. E sempre.


Precisamos de reaprender a beleza do que ele disse e a intensidade do que ele escreveu.


É, realmente, um imperador. Da língua. E da coragem.
publicado por Theosfera às 06:24

De Maria da Paz a 6 de Fevereiro de 2013 às 17:04
Sempre pertinente, Rev.mo Senhor Doutor! Efectivamente, o Padre António Vieira foi, também, «Imperador da coragem»! Um herói! E um Herói ao serviço de Deus é um Santo.
Afectuoso abraço.
Maria da Paz

De Anónimo a 6 de Fevereiro de 2013 às 19:21
O Padre António Vieira nasceu em Lisboa em 6 de Fevereiro de 1608 e faleceu na Baía em 18 de Julho de 1697. Foi uma grande figura do séc. XVII, se não a maior, que se notabilizou como grande orador, político e escritor. Os seus Sermões são de uma beleza literária inigualável , impondo-se a sua leitura sempre que possamos. Por isso Fernando Pessoa o chamou de Imperador da Língua Portuguesa. Ingressou na Companhia de Jesus, tendo sido um grande missionário e evangelizador. Grande defensor dos direitos dos povos indígenas; lutou incansavelmente contra a sua exploração. Defendeu a abolição da escravatura e a distinção entre cristãos-novos e cristãos-velhos, terminologia que proveio da inquisição. Na política ocupou inúmeros cargos. Algumas das afirmações que fez nos seus Sermões estão e são perfeitamente actuais. Então vejamos: "Não são só os ladrões, os que cortam bolsos, ou espreitam os que se vão banhar, para lhes colher a roupa; os ladrões que mais própria e dignamente merecem este título, são aqueles a quem os reis encomendam os exercícios e as legiões, ou o governo das províncias, ou a administração das cidades, os quais já com manha, já com força, roubam e despojam os povos. Os outros ladrões roubam um homem, estes roubam cidades e reinos: os outros furtam debaixo do seu risco, estes sem temor, nem perigo: os outros, se furtarem, são enforcados, estes furtam e enforcam".
Disse também: " Neste mundo conturbado, quem tem muito dinheiro, por mais inepto que seja, tem talento e préstimo para tudo;quem não tem dinheiro, por mais talento que tenha, não presta para nada". Esquecem-se os senhores do poder que, como também deixou dito Padre António Vieira: "Os vivos são pó levantado, os mortos são pó caído,os vivos são pó que anda, os mortos são pó que jaz". Em suma, viemos do pó e para lá voltamos.


mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro