O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sábado, 24 de Novembro de 2012

Não sei porque é que quase não se fala deste livro.

«Quem paga o Estado Social em Portugal?» é uma pergunta, mas traz também muitas respostas e desmonta muitos preconceitos.

Afinal, o que as pessoas produzem dá para as despesas básicas. O Estado Social é não só viável, mas até dá lucro.

Foi assim que aconteceu até 2002. O que aconteceu depois?

As contas desequilibraram-se porque muitas despesas classificadas como gastos sociais não o são de facto.

É o caso de custos de PPP incluídas com gastos de saúde. Ou programas de apoio a empresas qualificados como incentivos ao emprego.

Ambos são necessários, mas não são a mesma coisa.

Tudo é, portanto, uma questão de verdade e de prioridade.

Num país que tem verba para investir cerca de um milhão por dia na televisão, como é que admite cortar na saúde e na educação?

Não me chamem demagogo, mas, se me perguntassem, eu sugeria que, quanto à televisão pública, ficassem apenas com a RTP-Memória.

No fundo, o melhor no presente ainda é o que nos vem do passado!

publicado por Theosfera às 23:01

De Maria da Paz a 25 de Novembro de 2012 às 01:25
Grandes verdades, Rev.mo Senhor Doutor!
Muito obrigada pela coragenm de as dizer!
Afectuosamente,
Maria da Paz


mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9



26


Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro