O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Segunda-feira, 08 de Outubro de 2012

Os impostos são necessários. Mas, se repararmos bem, só o conceito de imposto litiga com a matriz fundadora da democracia: a liberdade.

Seremos livres quando algo nos é imposto?

Em democracia, nada devia ser imposto, tudo deveria ser proposto.

É claro que isso seria numa democracia perfeita. E nem no século de Péricles a perfeição ungiu a democracia.

Mas uma coisa é que caminharmos no sentido da perfeição, outra coisa, bem diferente, é afastarmo-nos cada vez mais dela.

Não há dúvida de que, para vivermos sob a égide das propostas e não dos impostos, teria de haver um mínimo de sentido comunitário.

Sucede que este sentido está muito longe de muitos.

É curioso notar que, há séculos, a Magna Carta preceituava que novos impostos só poderiam ser criados com o consentimento dos cidadãos.

É preciso ter uma cultura de responsabilidade muito grande. Mas creio que a inversa também é verdadeira.

Na hora que passsa, estamos a passar os limites do suportável.

O conceito de imposto está a ser muito difícil de suportar!

publicado por Theosfera às 10:05

De António a 8 de Outubro de 2012 às 14:09
Uma autêntica loucura este acréscimo brutal de impostos, praticado por um Governo completamente insensível aos pareceres dos mais diversos quadrantes políticos. Agora o caso Tecnofor ainda virá incendiar mais a revolta dos portugueses. Gostaria de estar enganado, mas os próximos tempos anunciam grandes convulsões sociais em Portugal.

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro