O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 04 de Maio de 2012

A fé não pode ser alienante.

O crente tem os olhos na eternidade, mas não foge do tempo. Pelo contrário, é por causa da sua esperança na consumação eterna da sua existência que ele se empenha na transformação do mundo actual.

É a certeza do futuro que estimula a intervenção no presente.

publicado por Theosfera às 10:02

De António a 4 de Maio de 2012 às 14:36
A crença em Deus pode ser instrumento de alienação e de perpetuação de injustiças ou de transformação humana e social. A história mostra-nos que, normalmente, aqueles crentes que estiveram do lado da transformação acabaram perseguidos e mortos como hereges. A começar por Jesus de Nazaré.

De Augusto Andrade a 6 de Maio de 2012 às 13:26
Caro António
Este teu comentário, semelhante à ideia não publicitada de muitos outros irmãos, é, para mim, fruto de uma ideia errada de quem é Deus e simultaneamente uma fuga ao eu comunitário que existe dentro de nós, mas não queremos ou sabemos fazer visível
A "alienação" não é fruto da crença em Deus, antes pelo contrário só acreditando em ou num Deus, como aquele a que te referes, será possível ao homem não se deixar alienar. Deus é o Amor, o Perdão, a Igualdade , a verdadeira Justiça. Deus criou-nos à Sua imagem e semelhança, diz a Sagrada Escritura. Deus é Espírito, diz a S.E ., logo Deus criou-nos à biliões / triliões ..... de anos seres espirituais a que somente há uns anos foi atribuído um corpo de condição humana. Quero com isto dizer que ; - Deus somente intervem em nós, no que á parte espiritual respeita.O nosso corpo não lhe é o mais importante e sobre ele , nada pode. Explicando melhor; Quando compras um pacote de leite, de açucar ou de arroz, o que te interessa? Óbviamente que o que está dentro. E o que fazes ao pacote? Deita-lo fora. Pois o nosso corpo não é mais que o pacote do Espírito, logo para deitar fora. Para reciclar.A crença em Deus é pois a crença no Espírito e não no corpo. O corpo está condenado à morte enquanto que ao espírito é oferecida a vida na Paz, na Alegria, no Amor, na Igualdade em COMUNIDADE e COMUNHÂO. Não foi Deus que quiz a transformação,a sociedade, a diferença e a indiferença. Não foi Deus quem criou a justiça humana, mas sim a sociedade, e quando o fizeram, se reparares bem, em todos os paizes do mundo, a sua base acenta nos principios sugeridos por Deus em Jesus o CRISTO.
Experimenta tu anunciares publicamente, os roubos, assassinios e outros desmandos, com os quais não estás de acordo, na maior parte dos países e logo verás como serás perseguido e morto.
"Deus não faz asseção de pessoas" . Deus ama a toda a humanidade da mesmissima forma. Um a um, para Ele somos todos iguais, e a palavra injustiça não existe no vocabulário da vida espíritual.
Não é a crença em Deus que aliena, mas sim os interesses do homem que precisam de se impôr, mesmo até contra um Deus que somente sabe amar e pede que nos amemos uns aos outros como Ele nos amou.
Perdoa-me por este comentário tão longo e se calhar pesado.
A PAZ DESTE DEUS ESTÀ CONTIGO


De António a 7 de Maio de 2012 às 17:59
Caro Augusto Andrade

Em nome de Deus, foi consumado o genocídio dos Cátaros. Nessa visão de Deus, de facto não me reconheço. Nem nessa, nem na que é veiculada pelo Deuterónimo e pelo Levítico.

De Augusto Andrade a 7 de Maio de 2012 às 22:43
Olá caro António.
Eu também não vejo Deus nessas e em muitas outras situações, tão ou mais graves que essas.
O Deus do Antigo Testamento é de facto um Deus castigador, castrador, vingativo, etc.etc.
Por esse motivo Jesus se identificou como Pedra de Tropesso, Jesus refere em S.João.10,34 " não está escrito em VOSSA Lei" e em 15,25 " a palavra escrita na SUA Lei" e S. Paulo na carta aos Galatas, 3,23-25,resumidamente ( até a vinda da verdade, que é Jesus o Cristo, havia a necessidade de um mestre, a Lei, depois da vinda, essa Lei não faz mais sentido". Não podemos renegar os nossos antepassados mas há que, colocando-nos no tempo, tentarmos perceber, a necessidade de apresentar Deus dessa forma, mas Jesus o Cristo vei-o precisamente apresentar-nos o verdadeiro(verdade) Deus, o Deus que nos ama mais como Mãe do que como Pai, porque nos GEROU EM SEU SEIO DIVINO.
Lamentavelmente, ainda hoje se continua a agredir os Seus filhos em nome Dele e mais grave ainda, os seus O agridem, os seus exploram o Seu nome e tudo em prol de interesses que não são os Dele mas os deles.
O NOSSO DEUS ou a NOSSA MÃE não é o culpado de todas as atrocidades que os Seus filhos cometem resguardados na Sua sombra.
O NOSSO DEUS, é aquele que, como nos ensinou Jesus, " antes de tu pensares no pecado (erro), já o Pai to perdoou"
O NOSSO DEUS, é aquele, que servindo-se de João Paulo, ajoelhando-SE, beijava a terra fonte de vida e pedia perdão pelos crimes dos Seus filhos.
Não te deixes desanimar por todas essas atrocidades porque sabes uma coisa, Ele não estava na mão dos que as cometeram, mas sim nos que delas foram vitimas. Do sangue derramado, Ele o fez o Seu próprio sangue. Na hora do sofrimento, Ele fez desses corpos, o Seu próprio corpo. As lágrimas derramadas eram as Dele.
Desculpa mas eu perco-me a falar Dele e Ele pede-nos humildade e dessa forma torno-me maçador.
Um abraço.
A PAZ DE DEUS ESTÁ CONTIGO



mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

19




Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro