O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quinta-feira, 03 de Maio de 2012

Hoje em dia, parece que tudo se inverteu.

Parece que ser honesto é uma presunção, ser autêntico é uma mania, não transigir com a mentira é fundamentalismo, ser rigoroso nos actos e nas palavras é perfeccionismo.

Quando não há argumentos, parte-se para o insulto e nem sequer se deixa de lado a calúnia. Ou seja, lança-se para os outros aquilo que sabem que são incapazes de fazer.

Já que não conseguem que eles mudem de conduta, ao menos tentam mudar a sua reputação.

De caminho, não falta quem acredite e propague.

Mas já dizia Nietzsche que «apontar alguém como culpado não prova que na realidade o seja»!

O que muitos não aceitam é a diferença!

publicado por Theosfera às 10:03

De Augusto Andrade a 3 de Maio de 2012 às 11:27
Parece que viver, já é fonte de culpa
Eu diria até que viver é mesmo fonte de culpa. Começo por falar em nome daqueles e são muitos milhares, que não tendo escolhido viver, alguém sem sentimento de culpa e porque quer ser diferente ou respeitado, ou intransigente, ou falso, ou rigoroso à sua maneira, resolveu tirar-lhe a vida. Viver pode ser e é muitas vezes fonte de culpa. Pode não ser daquele que vive, mas daqueles que o fizeram viver. Pode não ser a tua mas sim a minha culpa, porque te criei e não te amei, porque tiveste fome e não te dei de comer, porque tiveste sede e não te dei de beber, porque tiveste frio e não te acalentei, porque tiveste medo e não te dei confiança, porque tiveste duvidas e não te dei esperança, porque passas-te por mim e não te vi, porque me falas-te e não te escutei, porque caís-te e não te levantei e porque, porque, porque e não e não e não......
Também penso que até na morte há desonestidade. Não só na forma e condição em que se morre mas porque quem morre é como um ladrão. É verdade ! Costumo dizer aqueles que querem desistir de viver, que não têm esse direito. É verdade! Ninguém tem o direito de desistir ou querer deixar de viver, por mais dolorosa que a sua vida esteja a ser. Primeiro porque a vida não é uma propriedade nossa, depois, porque aquele que morre rouba aos que ficam, uma parte da vida de cada um, de momentos que se LEMBRAM, para momentos que com saudade se RECORDAM. De momentos que são nossos porque parte da nossa vida e que deixaram de ser nossos porque alguém levou com ele uma parte dessa vida.
Autentico não sei sinceramente se é possível Eu gostava, mas infelizmente pelo simples facto de viver eu tenho de ser PALHAÇO.
Acordo e logo depois de me lavar a primeira coisa que faço é por a cara de PALHAÇO. Não a cara que queria pôr mas a cara que os outros querem que eu tenha. Depois visto o fato do e adopto a atitude de PALHAÇO. Passo a ser, fazer e dizer o que os outros querem e não o que eu quero, porque a sociedade em que me insiro assim o exige. A mesma sociedade que me exclui e calunia se eu não for intransigente, quando alguém consciente ou inconscientemente agride a moral dessa sociedade. A mesma sociedade que me impõe regras morais e quantas delas mesmas, imorais, imorais até porque assentam sobre princípios do primado por ela eleito, o homem, em detrimento do verdadeiro sentido da vida. A verdadeira vida não é esta, e por isso mesmo ela é impositora, a verdadeira vida tem como primado o ESPÍRITO e não o homem. E como será bela e boa essa vida.
Obrigado
A PAZ DO SENHOR NOSSO PAI ESTÁ CONSIGO:


mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

19




Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro