O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Sexta-feira, 23 de Março de 2012
Quando não se pensa a montante, estamos condenados a penar a jusante.
 
A Europa tem dado sobejos sinais de confundir unidade com uniformidade.
 
Acontece que uma união não implica a eliminação das diferenças. Pelo contrário, uma união é a convivência entre diferenças.
 
Este pressuposto devia matriciar um entidade que, com o passar do tempo, se foi tornando cada vez mais heterogénea, praticamente continental.
 
Uma moeda única desde Portugal até à Estónia é um sonho bonito, mas também um passo arriscado.
 
Há quem fale, agora, da possibilidade de haver duas moedas. Mas isso soa a remendo.
 
Nisto, como em tudo, importa perceber que as diferenças não têm de nos separar. Elas podem (e devem) servir também para unir!
publicado por Theosfera às 09:44

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9


20



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro