O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 29 de Fevereiro de 2012
Se alguém vier ao nosso bolso e nos subtrair uma quantidade de dinheiro poderá ser condenado. Mas se esse alguém for o Estado, quem poderá ser condenado somos nós se não abrirmos os bolsos.
 
É claro que este raciocínio é simplista.
 
Há o dever indeclinável de cada um contribuir para o bem de todos. Mas a partir de um certo limite, o contributo pode assumir a forma de violência.
 
E se a violência do cidadão é condenada, porque é que a violência do Estado há-de ser promovida?
 
Será que, como notava Max Weber, o Estado tem o monopólio legal da violência?
 
Às vezes, parece!
publicado por Theosfera às 11:00

De Maria da Paz a 29 de Fevereiro de 2012 às 20:31



É isso mesmo, Rev.mo Senhor Doutor!
Se este "post" fosse lido por toda a gente, teria V. Rev.ª uma imensa salva de palmas do Norte ao Sul de Portugal!
Afectuosamente,
Maria da Paz


mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9

14

20
25



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
hora
Relogio com Javascript

blogs SAPO


Universidade de Aveiro