O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 18 de Dezembro de 2013

1. Se houver Natal, que seja liso, que seja limpo, que seja branco. Mesmo que não seja com neve.

Se houver Natal, que seja branco. Com a pureza dos gestos. Com a sinceridade dos sentimentos. Com a candura do sorriso. Com a intensidade das palavras. Com a transparência da vida.

 

2. Se houver Natal, que seja luminoso. Não necessariamente com luzes.

Se houver Natal, que seja luminoso. Com a luz da esperança em tempos sombrios. Com a luz da fé em tempos de obscuridade. Com a luz da verdade em tempos de conivência arrastada com a mentira.

 

3. Se houver Natal, que seja santo. Não somente com os santos de ontem.

Se houver Natal, que seja santo. Com a santidade de hoje. Com a santidade dos que não desistem. Com a santidade dos que não se exibem. Com a santidade dos que reconhecem os erros. Com a santidade dos que ousam, dos que abraçam, dos que choram, dos que sabem amar.

 

4. Se houver Natal, que seja simples. Não com uma simplicidade desleixada. Até porque a simplicidade não é desleixo.

Mas se houver Natal, que seja simples. Sem ostentação nem gastos sumptuosos. Que seja um Natal mais vivido com a presença do que com presentes. Que seja um Natal na humildade e na companhia dos humildes.

 

5. Se houver Natal, que seja autêntico. Não com uma autenticidade seca, lacónica.

Mas se houver Natal, que seja autêntico. Que seja um Natal cristão. Sim, um Natal com presépio por fora, mas sobretudo com um presépio por dentro. Que seja um Natal solidário e não solitário. Que seja um Natal a dividir e a multiplicar. Que seja um Natal sem a volúpia do lucro, mas com a felicidade da partilha. O Natal nunca será pobre quando estendemos a mão aos pobres!

 

6. Se houver Natal, que não seja só para nós. Se houver Natal, que seja para todos.

Se houver Natal, que não permita que alguns acumulem quase tudo e deixe muitos com (quase) nada.

 

7. Se houver Natal, que não deixe ninguém só.

Se houver Natal, que nos leve a procurar os que estão sós.

 

8. Se houver Natal, que não seja só para entrar.

Se houver Natal, que seja também para sair. Para procurar. Para (re)encontrar.

 

9. Se houver Natal, que seja quente, que seja cálido, que seja caloroso, apesar do frio.

Se houver Natal, não nos aqueçamos apenas à lareira. Procuremos reaquecer os corações que teimam em continuar gelados.

 

10. Enfim, se houver Natal, que seja logo, que seja longo.

Se houver Natal, que seja já, que seja agora.

Que seja sempre Natal!

publicado por Theosfera às 14:50

De Anónimo a 17 de Dezembro de 2013 às 23:56
Que a Luz emanada do Presépio, nunca deixe de brilhar em nossas vidas. Se não a deixarmos apagar, então seremos verdadeiramente felizes.


mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
contador
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro