O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Terça-feira, 25 de Julho de 2017

Poucos imaginam que o nome primitivo de São Tiago é Jacob.

Aliás, o nome por que ele é conhecido nas diversas línguas faz ressoar o original.

Assim, Jacob deu Jacques, James, Jácome, Jaume e Jaime.

O mesmo acontecia no ocidente da Península Ibérica, onde Jacob começou por se pronunciar Iago. A sonoridade continuava a ser semelhante.

Acontece que, quando Iago era tratado como santo (Santo Iago), a tendência foi para aglutinar os dois vocábulos, caindo o «o» entre o «t» e o «i».

Chegámos, deste modo, a Sant'Iago e a Santiago.

O mais surpreendente é que, em São Tiago, o «t» transfere-se da palavra «santo» para o nome Iago, passando este a ser Tiago!

publicado por Theosfera às 22:49

No elenco dos 12 apóstolos podemos agrupar duas séries de seis em três pares.

Antes de mais, encontramos três pares com o mesmo nome: um par com o nome Simão (Simão Pedro e Simão, o Zeloso), um par com o nome Tiago (Tiago Maior e Tiago Menor) e um par com o nome Judas (Judas Tadeu e Judas Iscariotes).

Também podemos agrupar três pares de irmãos: Simão Pedro e André (cf. Mt 10, 2), Tiago Maior e João (cf. Mc 3, 17), e Tiago Menor e Judas Tadeu (cf. Lc 6, 16).

Restam Tomé, Bartolomeu (ou Natanael), Filipe e Mateus.

Nas listagens bíblicas, os quatro primeiros a ser mencionados são sempre os dois pares de irmãos formados por Pedro e André, Tiago Maior e João.

O último das mesmas listas é sempre o mesmo: Judas Iscariotes, aquele que entregou Jesus (cf. Mc 3, 19)!

publicado por Theosfera às 21:41

É importante que o país seja bom para quem vem. Mas é fundamental que o mesmo país não seja mau para quem está.

É meritório facilitar a presença de quem nos visita. Mas, já agora, é decisivo que não se complique (mais) o dia-a-dia de quem aqui vive.

O turismo deve ser uma fonte de receita, não de (mais) problemas.

Faz bem atrair os outros, mas é prioritário que não afugentemos os nossos.

Temos de saber conviver com quem chega. Mas não podemos esquecer a nossa identidade.

Daí a necessidade de apelar ao respeito pelos espaços, pelas actividades e pelas pessoas.

Visitar não é sobrepor-se.

Não alteremos a nossa realidade. Até para que os outros vejam o que é nosso e não alterações de última hora.

E não nos habituemos a depender (só) do turismo. É que os fluxos por ele gerados são, por natureza, voláteis.

Tão depressa vêm como vão. E quem pode garantir que voltem a vir?

publicado por Theosfera às 10:48

Cuidado com as «neofilias».

O culto do novo nem sempre ajuda a renovar. Às vezes, até contribui para enquistar.

Não raramente, o novo é só espuma, fumaça, aparência e aparato.

É preciso perceber que nem tudo o que é novo é bom e que nem tudo o que é bom é novo.

Elias Canetti achava que o importante não é «que uma ideia seja nova, mas que se torne nova».

O que é bom nunca envelhece. O que é bom é sempre novo.

Procuremos sempre o bom e a bondade.

E mesmo que os anos passem, nunca nos sentiremos gastos nem desgastados!

publicado por Theosfera às 10:25

  1. Há sinais de que continua a haver crentes como sempre.

Mas, ao mesmo tempo, crescem os indícios de que a humanidade está a tornar-se ateia como nunca.

 

  1. Já Xavier Zubiri, com vendavais de lucidez e espamos de provocação, tinha notado que «o homem actual é, em boa medida, ateu».

É óbvio que não estava a pensar apenas nos que se assumem ateus. Estava seguramente a olhar também para tantos que se confessam crentes.

 

  1. Há pessoas que dizem crer em Deus, mas, no fundo, não se deixam conduzir por Deus.

Conduzem-se por si mesmas: pelas suas aspirações, pelas suas capacidades, pelos seus recursos.

 

  1. No limite, não seguem o Deus revelado, mas um «deus» fabricado.

Parafraseando Feuerbach, dir-se-ia que o homem está a chegar ao ponto de se tornar «deus» para ele próprio.

 

  1. Não estamos perante um «ateísmo-contra», mas perante um «ateísmo-sem».

Ou seja, estamos perante um ateísmo feito não de negação, mas de ausência.

 

  1. Não é que Deus Se tenha ausentado do homem. É o homem que se tem ausentado de Deus.

Só que este é o ateísmo radical. Não é um ateísmo postulatório, agressivo. Mas é um ateísmo profundamente invasivo. Não se confere pelo contacto com um pensamento ateu; sente-se pelo pulsar de toda uma vida ateia, sem Deus.

 

  1. Uma «vida ateia» não se posiciona «contra» Deus; limita-se a remar «sem» Deus.

Para Xavier Zubiri, uma «vida ateia» não se afirma «contra nada nem contra ninguém». Afirma-se meramente «por si mesma»: na companhia dos seus fracassos e dos seus êxitos.

 

  1. O certo é que este solipsismo existencial vai fazendo o seu caminho.

São cada vez mais os que se resignam a permanecer «aposentados na sua vida». O seu horizonte parece ser mais a técnica do que a eternidade. A humanidade descobre-se «imersa na técnica, que quase não põe limites ao domínio da natureza pelo homem».

 

  1. Não espanta, por isso, que o homem actual tenha dificuldade em aceitar «a ideia de um ser supremo».

Sem se aperceber, ele coloca o divino ao nível do humano e coloca o humano ao nível do divino.

 

  1. São muitos os que, hoje em dia, se comportam como «pós-crentes». Não negam. Até dizem que crêem. Mas vivem como se não cressem.

Desistiram de Deus? Ainda bem que Deus não desiste de ninguém!

publicado por Theosfera às 10:05

Hoje, 25 de Julho (faltam apenas cinco meses para o Natal), é dia de S. Tiago e S. Cristóvão.

O nome Tiago resulta de uma evolução do hebraico Jacob, que tem como equivalentes Jacques, James, Jácome, Jaume e Jaime. No ocidente da Península Ibérica, começou a ser conhecido como Iago. Daí Sant'Iago, Santiago e S. Tiago. Foi o primeiro dos Doze a receber o martírio.

Cristóvão (ou Cristófero) significa «aquele que transporta Cristo». Este santo é padroeiro dos archeiros, dos que fazem fretes, dos carregadores dos mercados, dos pisoeiros, dos negociantes de frutas, dos automobilistas; é invocado contra a morte súbita, as tempestades, o granizo, as dores de dentes e a impenitência final.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:00

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2017
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
contador
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro