O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 11 de Dezembro de 2013

1. Que saída pode haver para quem não vê saída?

Não basta analisar. Não chega decidir. É fundamental sair. É urgente ouvir os que sofrem. Antes de fazer propostas para eles, é preciso escutar os anseios deles.

 

2. Perigoso, muito perigoso, é ficar sentado em si mesmo.

Já Sophia recomendava: «Não procures verdade no que sabes».

 

3. Há muita solidariedade retórica, muita solidariedade mediática. Tem de haver mais solidariedade efectiva, mais solidariedade presencial.

O lugar do nosso testemunho não há-de ser apenas o púlpito, a cátedra ou a reunião. O lugar prioritário do nosso testemunho tem de ser o terreno, o quotidiano.

 

4. Este é um tempo em que celebramos um Deus que sai, um Deus que vem.

Daí que o Papa Francisco proponha: «Fiel ao modelo do Mestre, é vital que hoje a Igreja saia para anunciar o Evangelho a todos, em todos os lugares, em todas as ocasiões». Se, entretanto, houver que privilegiar alguém, que sejam «os pobres e os doentes, aqueles que muitas vezes são desprezados e esquecidos».

 

5. Quanto a isto, «não devem subsistir dúvidas nem explicações que debilitem esta mensagem claríssima».

Hoje e sempre, «os pobres são os destinatários privilegiados do Evangelho», e a evangelização dirigida gratuitamente a eles é sinal do Reino que Jesus veio trazer».

 

6. Atenção. O Papa não está contra o dinheiro.

Ele até quer mais dinheiro. O Papa quer mais dinheiro para mais gente.

 

7. O que o Papa denuncia não é a existência de dinheiro, mas a tirania do dinheiro.

O que o Papa deseja é que o dinheiro circule (também e sobretudo) pelos pobres.

 

8. Só quando a Igreja sai de si é que entra verdadeiramente em si: na sua natureza, na sua identidade, no seu mistério.

A Igreja não existe por ela mesma. Ela vem de Deus para o homem. Por conseguinte, Deus é o centro e o homem o caminho.

 

9. Neste sentido, cabe-lhe estar de joelhos junto de Deus e de pé ao lado das pessoas.

A Igreja tem de ser advento de Deus e evento de humanidade.

 

10. Tudo isto requer mais que o comunicado, a entrevista ou a tomada de posição. Tudo isto reclama estar no templo e no tempo, no sacrário e na rua.

Muitas vezes, é preciso sujar as mãos para manter limpo o coração.

 

 

publicado por Theosfera às 10:26

Costuma dizer-se, e eu concordo, que é mais importante dar vida aos anos do que dar anos à vida.

Mas, graças a Deus, há quem consiga congraçar os dois requisitos, mostrando ter muita vida nos anos e muitos anos na vida.

Manoel de Oilveira completa, hoje, 105 anos.

Apesar da proximidade do Inverno, são 105 primaveras. Em pleno vigor!
publicado por Theosfera às 10:16

Não deixa de ser curioso notar como, nestes tempos pós-modernos, alguém como Mandela seja chamado santo.

 

Alguém contesta? Contestava o próprio. Não se considerava santo...a não ser na medida em que se sente um pecador que não desiste de tentar.

 

Também no século XIX, refractário a muitas normas eclesiásticas, Eça falava de Antero de Quental como de um santo: «um génio que era um santo».

 

Alguém pode sentir-se transtornado como é que um suicida seja assim qualificado. Só que julgar não é para humanos.

 

Genuinamente humano foi o carácter de Antero, carácter «heroicamente íntegro», como refere Eça.

 

Antero viveu como um monge recluso, mas não indiferente.

 

Tinha um coração dourado, que respirava Deus.

 

Apesar de se sentir abandonado por Ele, muitos O viram nele.

 

E não será um verdadeiro milagre produzir um poema como este?

 

 

Num sonho todo feito de incerteza,
De nocturna e indizível ansiedade
È que eu vi o teu olhar de piedade
E (mais que piedade) de tristeza...

Não era o vulgar brilho da beleza,
Nem o ardor banal da mocidade...
Era outra luz, era outra suavidade,
Que até nem sei se as há na Natureza...

Um místico sofrer... uma ventura
Feita só de perdão, só da ternura
E da paz da nossa hora derradeira...

Ó visão, visão triste e piedosa!
Fita-me assim calada, assim chorosa...
E deixa-me sonhar a vida inteira!

 

Uma pena destas só pode ter vindo do Céu. Tem inspiração etérea e respiração celestial.

Quantos terão falado tão belamente da Mãe de Deus?

publicado por Theosfera às 09:58

Thomas Fuller reparou: «Quando a pobreza entra pela porta, o amor sai pela janela».

Não devia ser assim. Mas, muitas vezes, é assim.

Não deixemos que continue a ser assim.

Na adversidade, há que reforçar os laços!

publicado por Theosfera às 09:48

Não são muitos os heróis, hoje em dia. Ou talvez até sejam muitos.

Paul Claudel notou que «os indivíduos só são heróis quando não podem agir de outra maneira».

E não há dúvida de que, nos tempos que correm, são bastantes os que têm de sobreviver com pouco.

Não é heróico?

publicado por Theosfera às 09:44

Hoje, 11 de Dezembro, é dia de S. Dâmaso, S. Daniel estilita, S. Martinho de S. Nicolau, S. Melchior de Sto. Agostinho e Sta. Maria Maravilhas de Jesus.

Um santo e abençoado dia para todos!

publicado por Theosfera às 00:00

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
contador
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro