O acontecimento de Deus nos acontecimentos dos homens. A atmosfera é sempre alimentada por uma surpreendente Theosfera.

Quarta-feira, 28 de Março de 2012

Os Dez Mandamentos da Lei de Deus foram escritos em duas tábuas.

 

Os Dez Mandamentos de Jesus não foram escritos em qualquer livro, mas estão inscritos em todos os corações. Paul Johnson, conhecido historiador, extraiu-os da pregação do Mestre e compendiou-os numa obra recente.

 

Vou procurar resumi-los parafraseando-os.

 

1. Aceita-te como és

Jesus ensinou-nos que, fazendo parte de uma comum humanidade, cada um de nós é dotado de uma personalidade única e irrepetível. Por isso, cada um tem direito a determinar a sua vida e a desenvolver uma vontade individual.

 

2. Aceita os outros como eles são

Jesus mostrou-nos que as opções não são excludentes, mas inclusivas. A aceitação de si mesmo não impede (antes pressupõe) a aceitação dos outros. Do mesmo modo, o amor a Deus implica o amor ao próximo. O amor está no mesmo patamar que a verdade: também é universal. É para todos. É para sempre.

 

3. Apesar de único, não és superior nem inferior aos outros. Para Deus, és igual a todos

Jesus sentiu-Se sempre incomodado com o carreirismo, com as disputas de lugares. O importante não é ficar à frente dos outros, mas dar o melhor pelos outros. É por isso que, em Jesus, Deus corrige as assimetrias humanas. Se alguma discriminação pratica, é apenas a discriminação positiva: traz as periferias para o centro e o centro para as periferas; faz com que os primeiros sejam últimos e com que os últimos sejam primeiros (cf. Mt 19, 30).

 

4. Todos os teus actos deverão serão guiados pelo amor

Jesus tinha o amor nos lábios e, sobretudo, continha o amor nos gestos. Trata-se de um amor totalizante, não fraccionado. Não é, pois, um amor egoísta, mas um amor que se doa. É um amor que envolve o espírito e também o corpo. É um amor que atende, que ouve, que reconcilia, que ajuda. No amor não há leis; há provas. Jesus deu-nos a prova suprema de amor.

 

5. Usarás de misericórdia e de bondade para com toda a gente

 A misericórdia e a bondade dimanam do amor e vão além da lei. Elas conduzem à moderação, ao autodomínio, longe de todo e qualquer radicalismo ou pulsão para a vingança. Pela misericórdia e pela bondade, habituamo-nos a agradecer o bem e a não devolver o mal mesmo a quem nos faz mal.

 

6. Serás sempre equilibrado nas tuas atitudes

Jesus era claro, mas nunca foi um extremista. Usando uma conhecida expressão de Manuel Antunes, podemos dizer que Ele desencadeou a «revolução da sensatização». Como anota Paul Jonhson, Jesus «era reservado, mas não era um eremita; era capaz de estar sozinho, mas também gostava de companhia; era comedido, mas também conseguia indignar-Se; sabia chorar, mas não desesperava; era objecto de troça, mas nunca troçou de ninguém; foi agredido e deu a outra face». Enfim, foi atacado até por causa da Sua moderação.

 

7. Terás sempre um espírito aberto

Jesus sinalizou a Sua abertura com a Sua vida e até com a Sua morte. O Seu coração foi aberto a toda a humanidade (cf. Jo 19, 34). O mundo evoluiu sempre que se abriu e regrediu todas as vezes que se fechou. Por isso, antes de voltar para o Pai, Jesus enviou os Seus discípulos «por todo o mundo» (Mt 28, 19). Não a uma parte do mundo, mas a todo o mundo.

 

8. Buscarás, permanentemente, a verdade

Jesus é o melhor guia na busca da verdade, «de uma verdade completa e total, pura e simples, despida de contornos sectários, limpa de paixões». Trata-se de uma verdade que não é conquistada, mas oferecida. Não a possuiremos nunca. Devemos deixar-nos possuir por ela. É a verdade de Deus e a verdade do mundo. Deus e o mundo não estão em oposição. Deus vem ao nosso encontro no mundo. É no mundo que vamos ao encontro de Deus.

 

9. Utilizarás o poder com moderação e respeitarás quem o não tem

A vida de Jesus «é um modelo de uso contido do poder e, por contraste, a Sua morte é um exemplo, catastrófico e cruel, de abuso do mesmo poder». A ressurreição significa «a vitória do impotente», que ressurge das profundidades da morte. Jesus não deixou um manual de política nem regras sobre o poder. O fundamental é que o seu exercício seja pautado pelo respeito pelos mais humildes e pobres.

 

10. Serás sempre corajoso

 Cervantes dizia que perder os bens é perder muito, mas perder a coragem é perder tudo. Não espanta, por isso, que o grande legado de Jesus, documentado em palavras e amplamente certificado em obras, seja a coragem. É a coragem de «não apenas de resistir ao mal, mas também de o suportar». Jesus convida-nos à mansidão e à tolerância, mesmo diante da hostilidade e da perseguição. Jesus exorta-nos a não fugir dos problemas e a manter a serenidade no meio da tempestade. Esta coragem «é hoje tão necessária como sempre foi e é tão rara como no tempo d'Ele».

 

Cf. Paul Jonhson, Jesus. Uma biografia escrita por um crente (Lisboa: Ed. Aletheia 2011).

publicado por Theosfera às 21:32


Um jogo entre uma equipa portuguesa e uma equipa inglesa.

 

Reparando nas linhas oficiais, vemos que a equipa inglesa tem mais jogadores portugueses que a equipa portuguesa.

 

Não tem muitos, verdade seja dita. Mas a equipa portuguesa tem ainda menos. Ou seja, nenhum.

 

Mas isto é normal.

 

O mundo deixou de ser um lugar. É um corredor.

 

Todos passam em toda a parte. Ninguém, ou quase, pára em lado algum!

publicado por Theosfera às 11:50


«50 perguntas sobre Jesus» é o título do livro.

 

O que me espanta não é o número de perguntas.

 

O que me espanta é que sejam apenas 50 as perguntas.

 

Mas o que me espanta verdadeiramente é que o livro seja ocupado com respostas.

 

Haverá respostas para as perguntas sobre Jesus?

 

Não será Jesus o questionamento supremo para as nossas respostas?

publicado por Theosfera às 11:49


Hoje, 28 de Março, é dia de S. Venturino e S. Sisto III.

 

Refira-se que este Papa foi caluniado várias vezes. Uma altura foi acusado de um grande delito. Teve de ser o próprio imperador Valentiniano a convocar um concílio não ecuménico para sanar o ambiente e repor a verdade.

 

O caluniador, chamdo Basso, foi excomungado, mas o Papa mostrou-se sempre magnânimo para com ele.

 

De ontem para hoje, há coisas que não mudam.

 

Um santo e abençoado dia para todos. Na paz de Jesus manso e humilde!|

publicado por Theosfera às 11:48


Quando se diz que Deus é uma palavra humana, não se pense que se diz pouco.

 

Apesar dos limites inerentes ao facto de ser uma palavra humana que pretende dizer o divino, estamos em presença de muito.

 

Na filosofia grega mais antiga, a palavra Deus (Theós) surge no âmbito da busca do fundamento de tudo.

 

Para muitos, «Theós» é o «hálito» da realidade, o sopro vital de quanto existe.

 

Deus surge, pois, como um postulado nosso, como uma necessidade nossa.

 

Deus está no fundo do mistério do mundo e no horizonte máximo do mistério do Homem!

publicado por Theosfera às 11:47


Nunca desaparecerá a religião enquanto continuarem a faltar respostas para as perguntas.

 

A função primacial do religioso não é tanto responder, mas ser eco infinito do perguntar.

 

Cesare Pavese afirmou: «A religião consiste em acreditar que tudo aquilo que nos acontece é extraordinariamente importante. Nunca poderá desaparecer do mundo, justamente por essa razão».

publicado por Theosfera às 11:46


Não precisam de piloto. Só necessitam de um comando.

 

Chamam-se drones.

 

Transportam mísseis e outras armas letais.

 

São máquinas de voar. Têm sido máquinas de matar.

publicado por Theosfera às 11:46


As palavras de Santana Castilho costumam não ser mansas. Mas, embora bravas, convida, à meditação.

 

Hoje diz uma coisa que, pelo menos, nos porá a pensar: «Os professores "funcionam" cada vez mais e ensinam cada vez menos».

 

A isso são obrigados!

publicado por Theosfera às 11:45


«Uma semana, disse Harold Wilson, é muito tempo na política». Não só na política, ressalve-se.

 

Numa semana, e até em menos, tudo pode mudar.

 

Um minuto que seja pode transformar a vida inteira!

publicado por Theosfera às 11:44


Em 34 países da Europa, Portugal ocupa o nono lugar no consumo de álcool.

 

Assim pretendemos afugentar as dores e afogar as mágoas. Mas elas persistem.

 

 É preciso reagir. É necessário ingerir a vitamina E, a vitamina Esperança!

publicado por Theosfera às 11:43


«Um homem com fome não é um homem livre».

 

Robert Stevenson tocou numa ferida muito grande.

 

No que dizemos e no que fazemos não só apenas estimulados pelas nossas motivações.

 

Somos também (e bastante) condicionados pelas nossas limitações!

publicado por Theosfera às 11:42


Muitas vezes, é verdade o que disse Octave Mirbeau: «Os que se calam dizem mais coisas do que aqueles que estão sempre a falar».

 

Pelo menos, aqueles deixam em aberto aberto muita coisa.

 

Quando calamos, pode haver lugar a dúvida acerca da nossa capacidade e inteligência.

 

O problema é que, frequentemente, quando falamos, dissipam-se todas as dúvidas!

publicado por Theosfera às 11:41

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9


20



Últ. comentários
Sublimes palavras Dr. João Teixeira. Maravilhosa h...
E como iremos sentir a sua falta... Alguém tão bom...
Profundo e belo!
Simplesmente sublime!
Só o bem faz bem! Concordo.
Sem o que fomos não somos nem seremos.
Nunca nos renovaremos interiormente,sem aperfeiçoa...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
Sem corrigirmos o que esteve menos bem naquilo que...
online
Number of online users in last 3 minutes
vacation rentals
citação do dia
citações variáveis
visitantes
hora
Relogio com Javascript
contador
relógio
pela vida


petição

blogs SAPO


Universidade de Aveiro